Selo GP - Rodrigo Roreli
Fundação: Francisco Gabriel
Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade, desde 84
ANO 40
Nº 1998
11/12/2023


GENTE PENSANTE
Bié Barbosa

Bié Barbosa

GENTE PENSANTE 
BIÉ BARBOSA, jornalista e publicitário (UFMG), nascido em Pará de Minas em 22/11/53, é casado com Maíza Lage com quem tem 4 filhos. SEU LEMA: “O SENHOR É MEU PASTOR, NADA ME FALTARÁ”!


* VOCÊ ENCONTRA A GAZETA NAS SEGUINTES PADARIAS: BARIRI (São José), CAFÉ COM LEITE (São Luiz) e FRANÇA (rua Direita); * MERCEARIA DONA BENTA (São José) * NAS BANCAS: FELIPE (em frente à EE Governador Valadares); FRANCISCO (em frente ao Santander); LEONARDO (praça das “bolas”) * E POSTO STOP SHOP (avenida Ovídio de Abreu).

Veja também a crônica deste mesmo colunista da edição 1970:

QUANTO MAIS SE FALA EM POLÍTICA, MENOS POLÍTICOS AGEM CORRETAMENTE

Na inauguração do barzinho, que os jovens chamam hoje de pub, uma galerinha, formada por quatro pessoas reservou uma daquelas mesas com cadeiras de modelos e cores variados. Todos eles funcionários do Legislativo ou Executivo, mas nenhum concursado; só contratados. Foi um papo elevado, quando o moço de gravata falou sobre a falta de tato de uma pessoa, que teria atuado na política, por um curto prazo de tempo. Acrescentou: 

- Mas não poderia ser diferente, porque o próprio nome da política já começa com poli, que quer dizer de todos. Agora, aquela pessoa não conseguiu chegar a nenhum acordo, com quem quer que fosse. Uai, então era ditadura e tinha de dar mesmo no que deu...

Disse o mais risonho:

- Pois é... A felicidade das pessoas que formam uma sociedade deveria ser o único fim que todo e qualquer político deveria ter em vista. Resumindo: criando leis transparentes, que não beneficiassem panelinhas de certas pessoas, em detrimento da maioria. 

Disse a mulher já experiente no cargo público:

- Concordo com você, em gênero, número e grau. A política, muitas vezes, equivale à uma expressão de referências pessoais. Em quase nada que ele fez havia ali alguma concepção de utilidade ou do que seria, realmente, melhor para a maioria das pessoas. Ou seja, o povo!

Falou também o católico, que além do trabalho público, exerce um belo trabalho social, em uma das igrejas da cidade:

- Reparem como a religião não tem espaço na vida política. Acho que nenhum deles procura conhecer a vontade divina. Para eles, tudo é profundamente subjetivo: eu acima de tudo e todos! Aquele político era muito vaidoso e só olhava para o seu próprio umbigo. Por isso, inevitavelmente, a grande maioria de suas ações foram tão falhas. E, segundo o Princípio de Utilidade, do londrino Jeremy Bentham, deveria haver maior felicidade para o maior número possível de pessoas. E o que é bom para todos, não tenho dúvida, é onde a vontade divina entra em ação. Agora, eu pergunto: qual é a vontade de Deus, senão exatamente essa?

Nessa hora, finalmente falou a 4ª pessoa daquele grupo - uma moça, mais jovem que todos os outros ali reunidos:

- Quer saber o que eu penso? Ninguém deveria apoiar governo algum. Penso, exatamente, como aquela famosa frase, supostamente proferida por um mexicano: Hay gobierno, soy contra! (*)

E você, como vê a política, de um modo geral?

UMA BOA LEITURA!

(*) Há governo, sou contra!


O editor GP escreve mais uma crônica MOZART CAMPOS E A POLÍTICA NO BRASIL, NA VISÃO DE UM ELEITOR CONSCIENTE


Mais da Gazeta

Colunistas