Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1918
Pará de Minas 20/05/2022


exclusivo

GANHO PESSOAL

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

CANTORA LOCAL VAI DIRETO PARA A FINAL DO CANTA COMIGO

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

QUEM FOI

NELSON ALVES MARZAGÃO?
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Todo esforço merece reconhecimento e o GP Jornal sabe valorizar cada um de nós, como ninguém!”
VITOR DOS SANTOS SILVA, estudante de educação física.

Eventos GP

COMO ANDA A VIOLÊNCIA NESTA CIDADE?

Esta GAZETA realizou no último dia 25, quinta-feira, o 228° Grande Papo, com o tema Violência, dessa vez na bem cuidada e pintada de novo Escola Municipal Dom Bosco. Os debatedores convidados pela produção desse tradicional evento cultural foram o tenente da PM Bernardo Wenceslau e a psicóloga Marina Saraiva. A animação musical ficou por conta do grupo Chegar Poético, que abrilhantou o evento. Durante o debate, a atenta plateia enviou perguntas inteligentes aos debatedores, por meio de Bié Barbosa. Após o evento, houve o sempre esperado Ganha Prêmio, com brindes da COGRAN, PLENTA ALIMENTOS e da própria GAZETA. Em seguida, a reportagem GP conversou, primeiramente, com o tenente da PM Bernardo Wenceslau. 

“Como eu disse durante o debate, com a participação da sociedade e da PM a gente vem, cada vez mais, tendo resultados positivos, já que a criminalidade tem diminuído consideravelmente, a cada mês, nesta cidade. A gente ainda solicita e conta sempre com essa participação da sociedade, pois a segurança pública é um dever do Estado, mas direito e responsabilidade de todos. Felizmente, temos visto a participação dessa sociedade e a PM tem feito sua parte, resume Bernardo.

SOMOS TODOS VIOLENTOS - A reportagem GP conversou também com a psicóloga Marina Saraiva. Confira.

“Todos nós temos uma agressividade latente, pois já nascemos com traços agressivos. Só que tem também a influência dos pais, dos professores, da família, das leis e de nossa cultura, que vão fazendo com que a gente diminua esses traços agressivos. Vão surgindo os freios. Só que algumas pessoas, em decorrência de vários fatores, é como se esses freios falhassem, não funcionasse mais e elas vão continuando com essa agressividade e, às vezes, extrapolando em alguns comportamentos. O que a gente precisa observar é como está o nosso nível de agressividade, como eu trato às pessoas ao meu redor, pois o ideal é que a gente se avalie. Falar sobre vontade de bater e de matar são naturais do ser humano. O problema é quando a gente percebe ameaças e agressões. Aí sim. Se o autor desses comportamentos não perceber que ele está excedendo, precisa buscar tratamento,” acrescenta Marina.

GOSTO DE QUERO MAIS - A reportagem GP conversou ainda com uma das integrantes do grupo Chegar Poético, Regina Gonçalves. Acompanhe.

“O nosso grupo é um grupo de chegança, que tem raízes nas músicas, cantigas de domínio público, cultura popular e tem essa proposta de chegar, trazer as cantigas e, depois, ir embora, deixando um gosto de Quero Mais, trazendo essa memória afetiva das pessoas. O nosso trabalho com as crianças (apresentado neste Grande Papo) começou agora e essa foi a segunda apresentação deles, que começaram um ensaio no meio do ano. Está sendo uma maravilha trabalhar com elas,” comemora Regina.




Mais da Gazeta