Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1923
Pará de Minas 24/06/2022


exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

ATÉ AQUI,FATALIDADE ASSIM SÓ ERA VISTA NO FILME PREMONIÇÃO

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

VERA LÚCIA SENA VALADARES
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“O GP Jornal é informação e entretenimento, com qualidade e confiabilidade!”
VINÍCIUS PEREIRA DOURADO, médico cardiologista

Notícias

Quem serão a Miss Prisional e a Miss Trans 2018?

No dia 19 de novembro, foi realizada na Escola de Música Geraldinho do Cavaquinho a etapa regional do concurso Miss Prisional 2018 e a final do Miss Trans 2018, realizada pela Seap – Secretaria de Estado de Administração Prisional, que tem como meta o resgate da autoestima da mulher presa. Doze detentas e outras seis presas transexuais de unidades prisionais da região metropolitana de Belo Horizonte competiram, sendo avaliadas por sete jurados, nos quesitos carisma, simpatia, espontaneidade, postura, desenvoltura, originalidade e beleza. As presas participantes foram pré-selecionadas em etapas internas, realizadas nas unidades prisionais. A reportagem GP conversou com o diretor geral da penitenciária Pio Canedo, Marcelo Carvalho. Veja.

“Esse evento vem se realizando, desde 2006, e o intuito é promover a reflexão nas pessoas privadas de liberdade, de que mesmo estando presas elas têm que cuidar de suas vaidades e autoestimas. E também mostrar que o sistema prisional não é somente segurança, mas também a possibilidade de que essas pessoas retornem para a sociedade, mostrando o belo. Elas participam do desfile e são escolhidas as três primeiras de cada segmento, quando apenas a primeira participará da final, em dezembro, em Belo Horizonte. As roupas foram preparadas pelo detento Filipe Fernando Faria, que trouxe para o desfile vestidos de festa, de acordo com as escolhas das prisioneiras. Ele disse à reportagem GP que pretende dar continuidade a esse trabalho, quando sair da penitenciária

Mais da Gazeta