Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1923
Pará de Minas 24/06/2022


exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

ATÉ AQUI,FATALIDADE ASSIM SÓ ERA VISTA NO FILME PREMONIÇÃO

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

VERA LÚCIA SENA VALADARES
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“O GP Jornal é informação e entretenimento, com qualidade e confiabilidade!”
VINÍCIUS PEREIRA DOURADO, médico cardiologista

Notícias Coletivas

COPASA TERÁ DE DEVOLVER 18 MILHÕES AOS PARÁ-MINENSES

Na edição GP 1791, a reportagem GP mostrou que,em setembro de 2012, sem qualquer respaldo legal e sem autorização, aCopasa – Companhia de Saneamento de Minas Gerais, que fazia o abastecimento de água e coleta de esgoto na cidade, resolveu aumentar o valor da tarifa de esgoto. Aí, o MP - Ministério Público entrou com uma ação, declarando a prática abusiva e que a Copasadeveria ressarcir os consumidores. Agora, o promotor responsável por mover a ação contra a Copasa, Delano Azevedo, deu novos detalhes sobre o ressarcimento que tem de ser feito por essa estatal mineira. Confira.

“Houve uma frustração contra a abertura do posto de atendimento. No acordo celebrado em novembro de 2019, havia a previsão de que esse posto de atendimento fosse instalado em fevereiro, mas houve um erro na redação da ata, que não estabeleceu em que dia de fevereiro. Sentamos com a Copasa e chegamos a um acordo razoável. Existem na cidade quase 33.200 ligações de água que serão passíveis de restituição de valores. Um número muito expressivo e a Copasa já fez o cálculo do valor devido a cada consumidor, atualizou esse valor e vai criar um link na sua página na internet, para que o consumidor até lá se dirija, insira seu CPF e terá acesso ao valor que é devido. Caso o consumidor queira ter acesso ao valor individualizado dele, vai ter uma planilha individualizada, mês a mês, consignando quanto ele pagou, quanto deveria ser pago, a diferença e o valor atualizado. Então se ele quiser auditar e ver se a informação da Copasa está correta, ele pode solicitar nesse sistema que será criado e ter o acesso a esse extrato,” explica o promotor

DÊ MAIS DETALHES - “Esse sistema será criado e disponibilizado pela Copasa até o dia 2 de março. O posto de atendimento, que inicialmente foi previsto para ser instalado em fevereiro, será instalado a partir de 16 de março, na Aeapam, NA rua Sacramento, 356. O ideal é que a população aguarde a disponibilização desse link no site da Copasa e procure sempre a restituição pelo meio elétrico, que é mais seguro e não causa fila no posto de atendimento local. No meio eletrônico, caso o consumidor concorde com os cálculos apresentados pela Copasa, basta informar o número da conta corrente que a Copasa, em 5 dias, vai depositá-loem sua conta corrente. O consumidor que não concordar com os valores pode procurar a Copasa, apresentando prova de que os cálculos estão errados ou ingressar com a execução individual do valor que ele acha que tem direito.Analisamos a planilha e os valores mais elevados são os de grandes empresas, da prefeitura, que tem várias unidades, de alguns condomínios de prédios, empresas, penitenciária. A princípio, o posto de atendimento funcionará por um período mínimo de 3 meses, em que vamos acompanhar a evolução disso, mas já foi firmado com a Copasa que, em setembro deste ano, ela vai apresentar ao MP relatório detalhado do que ela pagou a cada consumidor e qual o total do montante pago. Nos cálculos apresentados, a Copasa terá que restituir a população pará-minense quase R$ 18 milhões.”

Mais da Gazeta