Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1918
Pará de Minas 20/05/2022


exclusivo

GANHO PESSOAL

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

CANTORA LOCAL VAI DIRETO PARA A FINAL DO CANTA COMIGO

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

QUEM FOI

NELSON ALVES MARZAGÃO?
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Todo esforço merece reconhecimento e o GP Jornal sabe valorizar cada um de nós, como ninguém!”
VITOR DOS SANTOS SILVA, estudante de educação física.

Notícias Deputados

DEPUTADO LOCAL ENFRENTA O PRESIDENTE

Foi sancionada no dia 2 de abril a Lei nº 13.982, de 2 de abril de 2020, que prevê o pagamento de um auxílio emergencial de R$ 600,00 a trabalhadores de baixa renda prejudicados pela pandemia do coronavírus. A lei é fruto do projeto de lei nº 9236/2017, de autoria do deputado federal Eduardo Barbosa. A lei trata também de critérios de aferição da vulnerabilidade do candidato ao BPC - Benefício de Prestação Continuada. Porém, o presidente da República vetou o aumento no limite mínimo de renda familiar per capita para BPC, que estava previsto no projeto. De acordo com o deputado patafufo, o veto revoga, inclusive,  a Lei nº 13.981, de 23 de março de 2020, que altera a Lei Orgânica da Assistência Social para elevar o limite de renda familiar per capita para fins de concessão do BPC de ¼ de salário mínimo para ½ salário, em 2021. A reportagem GP conversou com Eduardo Barbosa. Veja.

“O veto é um desrespeito ao Congresso Nacional, pois fez com que a lei que os parlamentares aprovaram para o aumento da renda per capta para concessão do BPC fosse revogada. Deixo aqui a minha indignação sobre a forma leviana como essa questão foi tratada, mostrando que o presidente da República, mais uma vez, está indo contra as pessoas com deficiência e os idosos. Agora, vamos tentar mobilizar para derrubar esse veto, quando da sua votação no Congresso Nacional (...)  A forma de inscrição para quem não está no Cadastro Único ainda não foi divulgada. O Poder Executivo alerta para as pessoas não procurarem os bancos oficiais nem passarem dados pessoais para desconhecidos para não serem vítima de golpe,” desabafa Eduardo.

Mais da Gazeta