Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1917
Pará de Minas 13/05/2022


exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

“FIQUEI LIGADA A UM MONTE DE APARELHOS, MAS NÃO TINHA MAIS O CÂNCER NO MEU CORPO”

exclusivo

O mais tradicional evento cultural da cidade debateu sobre a VIDA PÓS-PANDEMIA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

LEVINO DA COSTA DE JESUS, 115
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Por ser sério, o GP Jornal é muito respeitado na cidade!”
JOSÉ IRINEU SILVA, empresário.

Notícias

GRITO POPULAR
Entre outras queixas dos leitores GP leia: “Por que colocaram e depois tiraram os quebra-molas?”

VEJA NA EDIÇÃO 1813: NAS BANCAS DE 01/05 A 07/05. DEPOIS, SÓ NA GAZETA. Veja também outras queixas da edição anterior.

A TURI NÃO FAZ E A PREFEITURA NÃO FISCALIZA?

“Quando começou a quarentena do coronavírus, a Turi tirou muitos ônibus de circulação. Com isso, eles estão circulando agora totalmente abarrotadosde gente, quando o certo é mantermos distância de 2M um dos outro. Fora issos, dentro dos ônibus foram afixados cartazes dizendo que,devido ao decreto do governador, os ônibus só podem transportar passageiros assentados. Porém, aqui em Pará de Minas,isso também não está sendo cumprindo. Resumindo, aTuri não faz nada para cumprir os decretos e a prefeitura, não fiscaliza nada também.”

NOTA DA REDAÇÃO – Contatado, veja o que disse o superintendente da Turi.

“Estamos trabalhando firmes para manter o mínimo, pois estamos, desde o dia 26 de março, aguardando uma resposta concreta do prefeito Elias Diniz quanto a um subsídio para continuar nossa operação, embora muito limitada. Hoje, faltam passageiros, que é a receita para continuar. Até hoje,o prefeito ainda não assinou o nosso contrato, apesar de já ter de sido publicado no Diário Oficial e autorizado pelo Tribunal de Contas. Como podemos evoluir e investir, se nem contrato temos? Outra coisa: pleiteamos o subsídio para que fosse publicado um decreto limitando o uso da gratuidade por parte dos idosos e pessoas com limitação de mobilidade, mas até hoje nada também. Tudo isso junto, neste momento, nos cria limitações para atender quem realmente precisa trabalhar. Já era para a Turi, desde o último dia 2 de abril, ter paralisado totalmente os serviços por falta de dinheiro em caixa,” explica o superintendente.

NOTA DA REDAÇÃO – Contatada, veja o que disse a Assessoria de Comunicação da Prefeitura.

“A prefeitura informa que as demandas da Turi já estão sendo discutidas e, em breve, o município enviará à câmara municipal um projeto, pedindo a isenção de tributos municipais como Iss – Imposto Sobre serviços e Cgo – Custo de Gerenciamento Operacional cobrados da empresa. Além disso, o prefeito Elias Diniz trabalha junto à Confederação Nacional do Transporte para incentivar a discussão de uma redução de impostos de combustíveis para o transporte público,” promete a assessoria.

“POR QUE O PREÇO DA CONTA D’ÁGUA SUBIU TANTO?”

“Por favor, gostaria que a GAZETA verificassecom a Águas de Pará de Minas o porquê do preço tão absurdo que ela cobrou neste mês? Tem alguma explicação? Os moradores do São Cristóvão estão indignados.”

NOTA DA REDAÇÃO – Contatada, veja o que disse a Assessoria de Comunicação da Águas de Pará de Minas.

“A Águas de Pará de Minas informa que a rotina de trabalho das leituras e emissões das contas permanece a mesma. No entanto, o fato de muitas pessoas estarem mais tempo em casa, possibilita uma mudança no consumo de água. É importante que os clientes acompanhem a leitura do hidrômetro de suas residências. Em caso de dúvida, o cliente deve entrar em contato pelo site www.aguasdeparademinas.com.br, pelo aplicativo Cliente Águas ou pelo 0800 737 0422,” informa a assessoria.

Mais da Gazeta