Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1918
Pará de Minas 20/05/2022


exclusivo

GANHO PESSOAL

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

CANTORA LOCAL VAI DIRETO PARA A FINAL DO CANTA COMIGO

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

QUEM FOI

NELSON ALVES MARZAGÃO?
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Todo esforço merece reconhecimento e o GP Jornal sabe valorizar cada um de nós, como ninguém!”
VITOR DOS SANTOS SILVA, estudante de educação física.

Notícias

GRITO POPULAR
Entre outras queixas dos leitores GP leia: Remendos nos quebra-molas e custo das guaritas

VEJA NA EDIÇÃO 1818: NAS BANCAS DE 05/06 A 11/06. DEPOIS, SÓ NA GAZETA. Veja também outras queixas da edição anterior abaixo.

“HÁ MÉDICOS RUINS, MAS TAMBÉM HÁ MÉDICOS ÓTIMOS”

“Sei que os leitores do GP Jornal costumam usar a coluna Grito Popular, para reclamar e pedir solução de alguns problemas que acontecem na cidade, mas, dessa vez, quero usar essa coluna para elogiar. Pode, né? Tem um médico (...) na cidade, (...) que é a educação e simpatia em pessoa. Fui atendida por ele recentemente, em uma consulta delicada, quando eu estava muito nervosa, mas ele me tranquilizou, com tanta gentileza e educação. Sei que tem médicos ruins na cidade, mas esse, podem estar certos, é ótimo! Esse fez medicina realmente por amor à profissão e está de parabéns!”

VARREDORA DE RUA SEM MÁSCARA?

“Pessoal da GAZETA, eu estava passando pelas ruas do Centro da cidade e achei um absurdo, quando vi uma varredora de rua trabalhando, sem o devido uso de máscara. O que a prefeitura ou a empresa responsável pelo serviço de limpeza das ruas de nossa cidade tem a dizer sobre isso? Ela tirou a máscara ou foi a empresa que não as forneceu para elas trabalharem?”

NOTA DA REDAÇÃO – Contatada, veja o que disse a responsável pela Engesp, Denise Alves A Costa.

“Em resposta ao questionamento apontado pelo munícipe sobre a prestação do serviço de varrição, vimos informar que a empresa segue todos os protocolos de segurança apresentados pelos órgãos regulamentadores. Informamos que não há indicação de vestimenta diferenciada para esse serviço e quanto ao uso de máscara, todos os colaboradores recebem as máscaras individuais que são apontadas em seus registros de EPI - Equipamento de Proteção Individual e são treinados para a correta utilização do equipamento. (Porém, diante desta queixa), a empresa tomará as medidas para advertir disciplinarmente a gari que estava em flagrante desse cumprimento das diretrizes passadas para o setor de segurança do trabalho. Desse modo, esclarecemos a dúvida desse leitor e reiteramos nossa satisfação em contribuir para o bem comum dos municípes e do município de Pará de Minas,” afirma Denise.

Mais da Gazeta