Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1930
Pará de Minas 12/08/2022


exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

MAIS UMA VEZ, SEÇÃO GRITO POPULAR MOSTRA SUA FORÇA

exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

OLINDA MARIA STAIN, 81
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Credibilidade e imparcialidade em jornalismo é com a GAZETA!”
GABRIEL JOSÉ BARBOSA PALOTTI, administrador e Garra Profissional 2021 no agronegócio

Notícias Deputados

CAIR DE 600 PARA 300 REAIS O AUXÍLIO EMERGENCIAL?

O deputado federal Eduardo Barbosa apresentou duas emendas à Medida Provisória nº 1000/2020, que oficializa o auxílio emergencial de R$ 300,00 que será pago em 4 parcelas, entre setembro e dezembro deste ano. O valor é metade do que foi repassado, entre abril e agosto. A lei do auxílio emergencial (Lei 13.982/2020) foi votada no âmbito do Projeto de Lei nº 9236/2017, de autoria do deputado Eduardo Barbosa. A emenda nº 28 do deputado mantém o valor de R$ 600 para o auxílio emergencial até o fim do ano. Segundo Eduardo Barbosa, com a redução do valor para R$ 300 sem a desejável retomada da economia em decorrência da duração da pandemia, o governo atinge as famílias beneficiárias do auxílio emergencial como se elas não mais dependessem dessa proteção social nesse momento de grande vulnerabilidade. A emenda nº 29 propõe que seja suprimido o inciso VI do § 3º do art. 1º da MP, que exclui dos beneficiários a pessoa que tinha, em 31 de dezembro de 2019, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, incluída a terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00 (trezentos mil reais). Segundo o deputado, essa inovação da MP nº 1000/2020, é a consideração expressa do patrimônio familiar como critério de elegibilidade. A MP 1000/2020 foi publicada no Diário Oficial da União e será analisada diretamente no Plenário da Câmara, conforme o rito sumário de tramitação definido pelo Congresso Nacional durante o período de calamidade pública.

Mais da Gazeta