Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1918
Pará de Minas 20/05/2022


exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

“FIQUEI LIGADA A UM MONTE DE APARELHOS, MAS NÃO TINHA MAIS O CÂNCER NO MEU CORPO”

exclusivo

O mais tradicional evento cultural da cidade debateu sobre a VIDA PÓS-PANDEMIA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

LEVINO DA COSTA DE JESUS, 115
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Todo esforço merece reconhecimento e o GP Jornal sabe valorizar cada um de nós, como ninguém!”
VITOR DOS SANTOS SILVA, estudante de educação física.

Eventos GP

266ª MOSTRA GP: PINTURAS

Convidado para expor seus quadros na 266ª Mostra GP, relativa aos meses de março e abril, o artista visual e professor Théo Amaral (foto), 45, conversou com a reportagem GP sobre os seus trabalhos, que já estão expostos e abertos à visitação, na sede do GP Jornal, que fica na rua Alferes Esteves, 54, Centro. Leia e, depois, venha conferir.

“O contato com as artes começou bem cedo, de forma tímida e constante, com a convivência, a inspiração e o incentivo da minha avó materna e de meus pais. Avó Anita costurava, bordava, confeccionava bonecas e tapetes, pintava quadros em estilo naif, produzia presépios, objetos e peças decorativas diversas, além de restauros. Então, o interesse pela arte começou aí. Fui aluno de modelagem e cerâmica do professor Sica. Em Pará de Minas, fiz alguns cursos de desenhos e artes, sendo aluno regular da escola de artes. Terminado o 2° grau, prestei vestibular para o curso de Belas Artes da UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais, de onde sai bacharel em desenho, escultura e pintura, além da licenciatura plena em artes. Na federal, tive contato com a aquarela, gênero de pintura que rendeu mais estudos e os cursos de desenho e ilustração botânica. Também na UFMG, fiz cursos nas áreas de conservação e restauro. Fui aluno e estagiário do Cecor/UFMG,” relembra Théo.

VENDA E FEED-BACK - “Além da minha avó e da minha mãe, que também desenha, em meus trabalhos percebo elementos que me remetem a artistas que me inspiram e que gosto muito, como Guignard, Paul Klee, Tarsila do Amaral, Farnese Andrade, John Graz e Burle Marx. Portanto, costumo variar bastante as linguagens, os temas e as técnicas utilizadas em meus trabalhos. Não tenho uma linguagem preferida. Ultimamente, tenho trabalhado bastante o desenho, a pintura, a colagem e a fotografia. Eu vendo as minhas artes. Tenho sempre trabalhos disponíveis em casa. Geralmente, a pessoa interessada entra em contato, combinamos e acertamos a entrega, o preço e a forma de pagamento. Se é em local próximo, eu mesmo faço a entrega. Se for mais distante, despacho via transportadora ou Sedex. Alguns clientes optam por vir até mim, para conhecer e adquirir alguma peça. Felizmente, as pessoas sempre gostam do que eu faço. Muita gente me dá retorno (feed-back), comentando sobre algum trabalho que adquiriu ou que está interessado. Geralmente, gostam de conversar sobre as técnicas, os temas abordados e até os títulos das obras. São conversas bastante proveitosas.”

* Veja os trabalhos do Théo também facebook Théo Amaral ou pelo instagram @theo.amaral e @theo_amaral_

Mais da Gazeta