Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1930
Pará de Minas 12/08/2022


exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

MAIS UMA VEZ, SEÇÃO GRITO POPULAR MOSTRA SUA FORÇA

exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

OLINDA MARIA STAIN, 81
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Credibilidade e imparcialidade em jornalismo é com a GAZETA!”
GABRIEL JOSÉ BARBOSA PALOTTI, administrador e Garra Profissional 2021 no agronegócio

Notícias

GRITO POPULAR
Entre outras queixas dos leitores GP leia: Os moradores dos bairros são todos iguais ou não?

VEJA NA EDIÇÃO 1839: NAS BANCAS DE 30/10 A 05/11. DEPOIS, SÓ NA GAZETA. Veja também outras queixas da edição anterior abaixo.

RECADO PARA O PRÓXIMO PREFEITO

“Sou leitor(a) de BH e vindo a Pará de Minas, para visitar meus parentes, observei que o bairro São Francisco tem passeios largos, onde caberiam árvores plantadas, mas ele é pouquíssimo arborizado. O mesmo acontece no bairro Providência. O novo prefeito, seja ele quem for, deveria plantar muitas árvores e fazer uma campanha, convocando os moradores em frente as árvores plantadas, para adotar essas árvores plantadas, tendo o compromisso de cuidar delas.”

FALTOU RESPEITO NA HORA DE SELECIONAR?

“No dia 25 de setembro, fui chamado(a) para fazer uma entrevista de emprego em um supermercado da cidade. Eles não deram nenhuma informação sobre a vaga, apenas marcaram a entrevista para às 14H. Chegando lá, fiquei esperando, porque eles só começaram às 14H30. Isso, sem falar que havia mais de 15 pessoas na fila, sendo chamadas uma por uma. Quando entrou a 1ª pessoa, às 14H30, ela só retornou às 15H30, mas o(a) próximo(a) a ser chamado(a) fui eu. Quando entrei, eles perguntaram a minha idade e eu respondi: 15. Aí, eles disseram que eu não podia fazer a entrevista, porque a vaga era somente para maiores de 18 anos (...). Achei muita falta de respeito dessa empresa não ter perguntado a minha idade antes, quando marcaram a entrevista. E mais uma: naquela sala, que mais parecia uma sauna, por causa daquele calorão, nem um copo d’água, sequer, tinha pra gente beber.”

Mais da Gazeta