Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1929
Pará de Minas 04/08/2022


exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

MAIS UMA VEZ, SEÇÃO GRITO POPULAR MOSTRA SUA FORÇA

exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

OLINDA MARIA STAIN, 81
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“O GP Jornal traz informações corretas, com toques de criatividade e alegria, fazendo agradável a leitura!”
DENY OSWALDO DE ALMEIDA LEITE, contador.

Sindijori

ADVOGADA FRAGADA COM CELULARES NA PENITENCIÁRIA

A Sejusp - Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública informou que foi registrada ocorrência em Pará de Minas, envolvendo uma advogada, 31. Durante atendimento a 2 custodiados da penitenciária Pio Canedo, policiais penais flagraram a profissional entregando 2 celulares aos seus clientes. Por meio de procedimentos de busca e apreensão no parlatório da unidade prisional, outros 4 aparelhos foram encontrados dentro do frigobar. Uma representante da OAB local - Ordem dos Advogados do Brasil foi acionada para acompanhar a ação dos servidores. Além dos aparelhos e carregadores, havia com a advogada uma quantia em dinheiro. A Sejusp, por meio do Departamento Penitenciário de Minas Gerais, esclarece que trabalha diariamente em parceria com a OAB e que episódios como esse não afetam a excelente relação construída entre o sistema prisional mineiro e outros profissionais do direito. Ressalta, ainda, que ocorrências semelhantes a essa são pontuais, mas devem ser esclarecidas, a fim de que todas as medidas cabíveis sejam tomadas contra essa advogada que maculou o trabalho diário desenvolvido por seus colegas de profissão. As investigações sobre o ocorrido são de responsabilidade da PC.

Mais da Gazeta