Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1929
Pará de Minas 04/08/2022


exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

MAIS UMA VEZ, SEÇÃO GRITO POPULAR MOSTRA SUA FORÇA

exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

OLINDA MARIA STAIN, 81
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“O GP Jornal traz informações corretas, com toques de criatividade e alegria, fazendo agradável a leitura!”
DENY OSWALDO DE ALMEIDA LEITE, contador.

Notícias

GRITO POPULAR
Entre outras queixas dos leitores GP leia: E essas placas com horários de estacionamento não unificados?

VEJA NA EDIÇÃO 1849: NAS BANCAS DE 15/01 A 21/01. DEPOIS, SÓ NA GAZETA. Veja também outras queixas da edição anterior abaixo.

SÓ FALTAVA ESSA: COBRAR PARA MOER CARNE?

“Venho, por meio da coluna Grito Popular, que eu adoro, registrar a minha indignação com um supermercado da cidade. Estive nele, para fazer compras e, no açougue, pedi ao moço para moer 1KG de carne pra mim. Fiquei pasmo(a), quando esse açougueiro me disse que agora eles estão cobrando R$ 2,00 para prestar esse serviço. Imagine! A carne já está com preço abusivo e eles ainda vão cobrar mais, só para moer? Só faltou dizer que o culpado é o coronavírus. Que falta de respeito para com todos nós, consumidores!”

“PLANTÃO, QUE EU SAIBA, TEM DE SER NO HOSPITAL”

“No dia 28 de novembro, estive no HNSC - Hospital Nossa Senhora da Conceição com a minha mãe, que tinha sofrido um acidente de moto, quando observei que ali alguns procedimentos contra o coronavírus não tomados no local. Por exemplo: * na entrada, não mediram a temperatura, nem nos forneceram álcool em gel. Como assim, logo ali, local de saúde, não ter nada disso? Fora isso, o ortopedista de plantão estava em casa e fez o 1° atendimento todo por mensagens, sem sequer ver a minha mãe, bem como os outros pacientes que estavam lá. Ou seja, ninguém foi observado, nem medicado. Mas aí eu dei o meu grito, quando, em segundos, enfermeiras vieram atender a minha mãe e deu tudo certo. Mas, cá pra nós, a gente não precisava ter esperado mais de uma hora... E ortopedista que seria bom, não apareceu para examinar a minha mãe. Fiquei me questionando o porquê de um médico de plantão ficar atendendo de casa? Plantão, que eu saiba, tem de ser dentro dono hospital! Ou não?”

NOTA DA REDAÇÃO - Contatada, veja o que disse a Assessoria de Comunicação do Hospital.

“Em relação ao atendimento, o HNSC esclarece que tem pactuado atendimento presencial 24 horas para a especialidade de ortopedia. Portanto, em caso de não atendimento ou falta de médico, a situação deve ser denunciada, imediatamente, à instituição para a devida apuração de nosso diretor técnico. Todos que se sentirem lesados, pedimos que reportem por escrito, detalhando o ocorrido e indicando o médico que não estaria prestando atendimento,” solicita a assessoria.

Mais da Gazeta