Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1923
Pará de Minas 24/06/2022


exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

ATÉ AQUI,FATALIDADE ASSIM SÓ ERA VISTA NO FILME PREMONIÇÃO

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

VERA LÚCIA SENA VALADARES
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“O GP Jornal é informação e entretenimento, com qualidade e confiabilidade!”
VINÍCIUS PEREIRA DOURADO, médico cardiologista

Notícias Variadas

RELATO DE UMA PARÁ-MINENSE QUE VENCEU A COVID

A sensação de tentar respirar, buscar ar e simplesmente não conseguir é quase que morrer afogado. Foi preciso que a Ana Carla Silva dos Santos, conhecida como Ana Maracujá, 45, passasse por essa situação para acreditar na gravidade da covid-19. E agora que ela conseguiu vencer a batalha pela vida, passou a alertar as pessoas sobre a necessidade da prevenção e de manutenção dos cuidados. Depois do susto, ela sentiu nos próprios pulmões que a coronavírus não é uma gripezinha e que ataca pessoas de todas as idades. Ela nunca levou a pandemia muito a sério e até desejava ser contaminada logo, para criar os anticorpos. Tinha certeza de que não teria grandes complicações com essa doença. Porém, dos sintomas simples, como dor no corpo, ela pulou para a necessidade de ser internada no hospital, em poucos dias, ficando lá durante 11 dias, 6 deles no CTI. Felizmente, ela não precisou ser intubada e o quadro foi revertido. Já em casa, ela está convencida de que nasceu de novo e atribui o sucesso do tratamento aos profissionais de saúde a quem considera verdadeiros heróis, que precisam ser valorizados. A reportagem GP conversou com ela. Acompanhe.

“Por eu ser saudável, sem nenhuma comorbidade, eu imaginava que se a covid viesse até mim, eu ficaria livre dela, rapidamente. Trabalhava e saía para a rua, às vezes sem máscara, até que esse vírus mortífero me pegou. Como eu moro no 2° andar, já não conseguia mais subir as escadas, nem mais tomar banho e os meus filhos tiveram que comprar oxigênio. Chegou a um ponto que eu tive que ligar para um dos meus filhos, de madrugada, para falar que não aguentava mais...,” relembra Ana, com tristeza.

TUDO ABERTO NO CARNAVAL, MENOS OS BANCOS

Mesmo com o decreto municipal suspendendo o ponto facultativo nas repartições públicas de Pará de Minas e o funcionamento normal do comércio, assegurado através de acordo entre Ascipam, CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas e o Sindicato dos Comerciários, algumas atividades vão manter o recesso nos dias 15 e 16 de fevereiro, caso da rede bancária. Comunicado divulgado pela Federação Brasileira de Bancos determina o fechamento dos bancos durante os dias 15 e 16, além do horário reduzido na 4ª feira de cinzas, 17, com atendimento somente a partir das 12H. O funcionamento das agências na 4ª feira de cinzas cumpre a recomendação da Federação para garantir o mínimo de 3H de expediente ao público. O cancelamento do ponto facultativo no carnaval também vai atingir órgãos públicos das esferas estaduais e federais. No entanto, com a maioria deles vem trabalhando com atendimento presencial suspenso, nesse caso não haverá maior impacto. A maioria desses órgãos também funcionará normalmente nos dias de carnaval, exceto no fim de semana. A determinação pelo expediente normal visa diminuir as tradicionais aglomerações no período das festividades, contendo a propagação do coronavírus.


Mais da Gazeta