Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1931
Pará de Minas 18/08/2022


exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

AFINAL, ONDE ESTÁ A VERDADE SOBRE O “FECHAMENTO” DA COOPARÁ?

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

WANDERCY CORREA STEIN, 85
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“A GAZETA sempre mantém a população pará-minense atualizada, com informações precisas!”
CARLOS ALBERTO DE MOURA MORATO, empresário.

Gozacao Pura

GOZANDO PACAS: DUAS NOTAS SALGADÍSSIMAS E UMA, BEM DOCINHA


Estou atrasado com as notas de hoje, porque foram acontecendo outras coisas mais importantes. Mas vamos lá: 1ª) Em dezembro, um bar de fora chegou na cidade e o seu o proprietário menosprezou os clientes daqui, ao colocar nas redes sociais que ele não queria pessoas mal arrumadas e sem dinheiro como elas estavam, no bairro onde ele inaugurou o seu estabelecimento. Disse que ele investiu na cidade, esperando um público selecionado e muitas mulheres bonitas. A revolta dos moradores dos bairros onde ele foi instalado foi imediata... Mas quem errou foi ele mesmo, que deveria ter pensado, antes, no tipo de clientela que ele queria alcançar. Cada bairro tem o seu público específico, não é mesmo? 2ª) Naqueles mesmos dias, uma chuvarada sem fim desabou sobre Pará de Minas, causando grandes estragos em várias lojas do mesmo bairro. Dizem que havia roupas boiando, parte do teto caindo e provadores se desmontando... Tudo foi por água abaixo, sem falar no lamaçal. E tudo isso foi acontecer logo, na época do Natal, quando as vendas costumam ser as melhores possíveis... 3ª) Mas nem tudo foi desgraça naquele bairro, uma vez que ali foi inaugurado um supermercado, que já tem várias filiais espalhadas pela cidade. A freguesia ao redor adorou, porém - e é bom que se diga - que o sucesso dele incomodou demais a um outro supermercado que, há anos, vem trabalhando por aquelas bandas. Aí, aconteceu o que sempre se sucede, onde surge a velha e boa concorrência: promoções, atrás de promoções, de ambos os lados. Agora, euzinha pergunto a você, amado ou amada leitor GP: Quem ganha com isso? Nozes, é claro, já que os preços, onde não há concorrência, estão pela hora da morte!

ATÉ BREVE! E DE LEVE...


Mais da Gazeta