Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1930
Pará de Minas 12/08/2022


exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

MAIS UMA VEZ, SEÇÃO GRITO POPULAR MOSTRA SUA FORÇA

exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

OLINDA MARIA STAIN, 81
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Credibilidade e imparcialidade em jornalismo é com a GAZETA!”
GABRIEL JOSÉ BARBOSA PALOTTI, administrador e Garra Profissional 2021 no agronegócio

Notícias

GRITO POPULAR


VEJA NA EDIÇÃO 1861: NAS BANCAS DE 09/04 A 15/04. DEPOIS, SÓ NA GAZETA. Veja também outras queixas da edição anterior abaixo.

DE ONDE ESTÁ VINDO A VERBA DO NOVO CEMITÉRIO?

“Ouvi dizer, dentro da prefeitura, que a verba para construir o novo cemitério está vindo da multa paga pela Vale, por causa do mal que ela causou ao rio Paraopeba, após o rompimento da barragem de Brumadinho/MG. É verdade isso?”

NOTA DA REDAÇÃO - Contatada, veja o que disse a Assessoria de Comunicação da Prefeitura.

“A prefeitura esclarece que as obras do novo cemitério serão custeadas com recursos do próprio município,” garante a assessoria.

CHUVA DE GRITOS SOBRE O SENADOR VALADARES (5)

Leia hoje mais uma opinião de leitor(a) GP sobre a série de entrevistas que estão sendo feitas por este GP Jornal sobre a polêmica questão do bairro Senador Valadares não estar indo pra frente. Confira:

“Como se não bastasse tudo que já foi divulgado na matéria feita com o empresário e dentista Antônio Miguel da Silveira (edição GP 1859), vou dar uma aprofundadazinha, em uma questão levantada lá. Antes, as ruas do bairro Senador Valadares, todas elas, tinham nomes de países. Aí, os vereadores inventaram a moda de mudar esses nomes, que já estavam prontos, inclusive com algumas placas, para nomes de médicos, com a desculpa de que a Upa 24H foi instalada no bairro. Mas, no fundo, no fundo, o que eles querem mesmo é fazer média com os familiares dos médicos mortos homenageados, para aumentar o curral eleitoral deles (...). Aí, os pobres coitados dos donos dos lotes têm de ir ao cartório e pagar, outra vez, pela mudança do nome da sua rua. Assim não dá, né gente?”

NOTA DA REDAÇÃO – Contatada, veja o que disse a Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal.

“Neste local, são 3 bairros próximos: o Senador Valadares e mais 2. Quando termina um e começa outro, acontecem as mudanças de nomes. Veja com o Eduardo, do cadastro, da prefeitura,” sugere a assessoria da câmara.

* Também contatado, via telefone, Eduardo, que não quis fornecer o seu nome completo, disse que “no cadastro da prefeitura nós apenas fazemos as trocas dos nomes, mas quem vota pelos projetos de lei dos nomes das ruas são eles, os vereadores...”, fala o técnico em desenho, Eduardo Duarte de Aguiar. (Continua na próxima edição).


Entre outras queixas dos leitores GP leia: “Há professores infartando, surtando e adoecendo...”


Mais da Gazeta