Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1917
Pará de Minas 13/05/2022


exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

“FIQUEI LIGADA A UM MONTE DE APARELHOS, MAS NÃO TINHA MAIS O CÂNCER NO MEU CORPO”

exclusivo

O mais tradicional evento cultural da cidade debateu sobre a VIDA PÓS-PANDEMIA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

LEVINO DA COSTA DE JESUS, 115
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Por ser sério, o GP Jornal é muito respeitado na cidade!”
JOSÉ IRINEU SILVA, empresário.

Giro Policial

PERDE R$ 6 MIL, NO VELHO GOLPE DE BILHETE PREMIADO


A PM foi procurada no posto policial da praça Torquato de Almeida, Centro, por uma mulher, 65, a qual contou aos policiais que foi vítima de um golpe, quando teve um prejuízo de R$ 6.000,00. Segundo a vítima, ela estava em uma rua do Nossa Senhora de Fátima, quando se aproximou dela uma mulher, aparentando ter mais de 60 anos e lhe disse que estava perdida e precisava encontrar uma confecção de roupas, onde uma pessoa iria lhe entregar um bilhete premiado da loteria, no valor de R$ 7.000,00. Porém, por ela ser idosa e não saber ler, precisaria de ajuda, para trocá-lo no banco. Nessa hora, surgiu um homem, também de aproximadamente 60 anos, que lhe disse que iria levar a mulher que se dizia perdida ao banco, onde iria lhe ajudar a sacar o dinheiro do bilhete premiado. O homem propôs a ela que dividissem o prêmio e a convenceu a entrar, juntamente com a outra idosa, em um carro e se deslocaram até uma agência bancária, na rua Benedito Valadares. A vítima disse que fez um saque de R$ 6.000,00 em sua conta bancária e repassou ao homem, após ser convencida por ele de que isso ajudaria, de alguma forma, no recebimento do prêmio do suposto bilhete. Ela passou o dinheiro ao homem, que lhe mandou ir tirar xerox de seus documentos e encontrá-lo em frente à agência bancária. O resto da história todo mundo que lê esta coluna GP já está careca de saber: ao voltar, ela não encontrou mais o homem, nem a mulher. Só aí percebeu que havia caído em um golpe. Misericórdia!!!


Mais da Gazeta