Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1929
Pará de Minas 04/08/2022


exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

MAIS UMA VEZ, SEÇÃO GRITO POPULAR MOSTRA SUA FORÇA

exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

OLINDA MARIA STAIN, 81
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“O GP Jornal traz informações corretas, com toques de criatividade e alegria, fazendo agradável a leitura!”
DENY OSWALDO DE ALMEIDA LEITE, contador.

Notícias Variadas

HOSPITAIS DA CIDADE SÃO FISCALIZADOS


A engenharia e a agronomia estão bem mais presentes nos hospitais do que se possa imaginar. A atuação do profissional da área é obrigatória para realizar desde a manutenção de equipamentos, à instalação de infraestrutura, passando pela aquisição de equipamento com melhor custo benefício, até o gerenciamento adequado de impactos ambientais. E em tempos de pandemia de covid-19, esse trabalho é ainda mais importante, tendo em vista a grave crise sanitária que o Brasil atravessa. Para garantir a presença do profissional habilitado à frente desses serviços, o Crea - Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais iniciou em março de 2021, uma ação para ampliar a fiscalização em empreendimentos hospitalares em todo o estado. Em Pará de Minas, 3 unidades hospitalares foram algumas dos quase 700 hospitais de Minas que já receberam o ofício solicitando a documentação, que corresponde à primeira etapa da fiscalização do conselho.O gerente da divisão de fiscalização do Crea-MG, engenheiro eletricista Nicolau Neder, explica que os fiscais verificam se as empresas prestadoras de serviço possuem registro no conselho, se os profissionais responsáveis têm atribuições para tais serviços e se emitiram suas ARTs - Anotações de Responsabilidade Técnica. Também verificam se as atividades como manutenção de sistemas de ar condicionado, geradores de energia, caldeiras, aparelhos eletromecânicos, de hemodiálises, ultrassonografia, nobreaks, grupo motor gerador, aquecimento de água, vasos de pressão, equipamentos de combate a incêndio e médico-hospitalares têm responsável técnico legalmente habilitado. Além de oferecer mais segurança para pacientes e colaboradores, o hospital fiscalizado tem mais credibilidade, confiabilidade e boa reputação. O presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges, reforça que o papel de cada profissional numa unidade hospitalar deve ser conhecido por todos para que se entenda a importância dessa atividade. 

POR ETAPAS - A fiscalização está dividida em 4 etapas. Em um 1° momento, o Crea-MG solicita, por ofício, a relação do quadro técnico de profissionais das áreas de engenharia, agronomia e geociências e a relação de contratos de serviços dessas áreas nos hospitais. Em seguida, o hospital reúne as informações solicitadas e se tiver alguma dúvida deve entrar em contato com o conselho. Depois, por meio do hotsite http://www.crea-mg.org.br/especial/fiscalizar-hospital/, o hospital envia os dados e documentos solicitados. E por fim, o conselho verifica as informações, instaura os processos de fiscalização e divulga os resultados no hotsite. Essa é uma ação que está sendo realizada por todos os Creas do Brasil e que foi definida por meio de uma decisão plenária do Confea - Conselho Federal de Engenharia e Agronomia, que determina que seja ampliada a fiscalização em empreendimentos que demandam serviços de engenharia, agronomia e geociências com o objetivo de proteger a vida. A meta estipulada é fiscalizar todos os hospitais do país, até 31 de dezembro deste ano.


Mais da Gazeta