Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1931
Pará de Minas 18/08/2022


exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

AFINAL, ONDE ESTÁ A VERDADE SOBRE O “FECHAMENTO” DA COOPARÁ?

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

WANDERCY CORREA STEIN, 85
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“A GAZETA sempre mantém a população pará-minense atualizada, com informações precisas!”
CARLOS ALBERTO DE MOURA MORATO, empresário.

Notícias

GRITO POPULAR


VEJA NA EDIÇÃO 1868: NAS BANCAS DE 28/05 A 03/06. DEPOIS, SÓ NA GAZETA. Veja também outras queixas da edição anterior abaixo.

“BURACOS QUE NÃO ACABAM MAIS...”

“As ruas da cidade estão bem esburacadas e não é só no Centro não, mas nos bairros também. A gente, que anda de moto, tem de ter reserva pra ficar consertando pneu, porque eles vivem caindo nesses buracos e furando. Antes, o pessoal da prefeitura justificava, dizendo que era por causa das chuvas, mas e agora, que não está chovendo mais, por que continua tudo do mesmo jeito? São buracos que não acabam mais!!!”

NOTA DA REDAÇÃO - Contatada, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura não enviou resposta até o fechamento desta edição. Entretanto, caso ainda queira, é só manter contato.

NÃO DESPERDICE! SEJA SOLIDÁRIO COM QUEM PASSA FOME!

 “Queria usar a GAZETA, porque sei que, por meio deste veículo de comunicação, muitas pessoas ficam sabendo tudo o que acontece pela cidade. Faço, então, um apelo aos donos das padarias, supermercados e sacolões, para que não joguem fora os produtos que vocês acham que não dá mais para vender, porque está acabando o prazo de validade. Deixem do lado de fora do estabelecimento, escrito GRÁTIS sobre eles. Tem muita gente, como eu, que tem vergonha de pedir, mas está passando por grandes dificuldades econômicas e qualquer coisinha ajuda demais. Agindo assim, vocês, além de não desperdiçarem, estarão sendo solidários com quem precisa, de verdade, porque a coisa está feia e tem muita gente passando fome nesta cidade...”


Entre outras queixas dos leitores GP leia: Praças lindas, mas muro industrial, nem tanto...


Mais da Gazeta