Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1917
Pará de Minas 13/05/2022


exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

“FIQUEI LIGADA A UM MONTE DE APARELHOS, MAS NÃO TINHA MAIS O CÂNCER NO MEU CORPO”

exclusivo

O mais tradicional evento cultural da cidade debateu sobre a VIDA PÓS-PANDEMIA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

LEVINO DA COSTA DE JESUS, 115
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Por ser sério, o GP Jornal é muito respeitado na cidade!”
JOSÉ IRINEU SILVA, empresário.

Giro Policial

INVADE CASA COM FACA, MAS É MORTO COM FACÃO


A PM compareceu na rua Jacinto Teotônio Mendonça, Recanto, onde se deparou com o corpo de um homem morto, 41, caído no chão e com uma faca na mão. O morador da casa, 47, contou aos policiais que ele era seu vizinho e vinha apresentando transtorno mental aliado ao uso de drogas. Naquele dia, ele já havia colocado fogo em objetos em sua própria casa, que já se encontrava bastante depredada, devido aos seus surtos psicóticos dele. Depois, ele pegou uma faca e passou a lhe ameaçar, bem como à sua esposa e ao seu filho, 23. Em seguida, subiu no telhado da casa do vizinho e começou a retirar telhas, com intenção de entrar nela. O filho, que estava em casa, pegou um facão e avisou à vítima para não entrar, mas ele acabou entrando pelo telhado da garagem, caminhando com a faca em sua direção. Nesse momento, o rapaz começou a agredí-lo com o facão, alegando legítima defesa dele e de seus pais. A testemunha também disse que mesmo após os golpes de facão, a vítima ainda continuou de pé, por um tempo, antes de cair no chão. O filho fugiu do local, temendo ser preso. Uma vizinha de ambos disse que foi, do lado de fora de sua casa, após ser chamada pela moradora, para ajudar a convencer a vítima a não invadir o imóvel, mas ele não lhe deu ouvidos. Disse ainda que, em seguida, começou a ouvir gritos dos envolvidos, mas, de onde estava, não foi possível ver o que estava acontecendo. Ela confirmou ainda que os surtos da vítima eram constantes. A perícia da PC fez seus trabalhos no local, apreendendo a faca usada pela vítima e o facão pelo autor. 


Mais da Gazeta