Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1917
Pará de Minas 13/05/2022


exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

“FIQUEI LIGADA A UM MONTE DE APARELHOS, MAS NÃO TINHA MAIS O CÂNCER NO MEU CORPO”

exclusivo

O mais tradicional evento cultural da cidade debateu sobre a VIDA PÓS-PANDEMIA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

LEVINO DA COSTA DE JESUS, 115
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Por ser sério, o GP Jornal é muito respeitado na cidade!”
JOSÉ IRINEU SILVA, empresário.

Notícias

GRITO POPULAR


VEJA NA EDIÇÃO 1874: NAS BANCAS DE 09/07 A 15/07. DEPOIS, SÓ NA GAZETA. Veja também outras queixas da edição anterior abaixo.

RESULTADO DA VOTAÇÃO CONTRA O NEPOTISMO: 9 x 8

“Na reunião da câmara, do dia 21 de junho, houve a votação de um projeto de lei ordinária que dispõe sobre a proibição do nepotismo (contratar parentes para ocupar cargo público), no âmbito dos poderes Executivo e Legislativo da cidade. Esse projeto foi rejeitado por 9 votos (Dilhermando, Carlos Lázaro, Serginho do JK, Niltinho, Toninho Gladstone, Marcílio, Márcio Lara, Renato Almeida e Ricardo Rocha) contra 8, favoráveis (Juninho Jr., Ronnie Barbosa, Luiz Lima, Clebinho, Irene, Rodrigo de Torneiros, Márcia Marzagão e Leo do Depósito). Essa cidade é uma vergonha e, na minha opinião, os vereadores que foram contra a proibição do nepotismo são mais vergonhosos ainda. É por isso que Pará de Minas, cheia de falcatruas desse tipo, não vai pra frente!”

NOTA DA REDAÇÃO - Contatada, a Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal não enviou resposta até o fechamento desta edição. Entretanto, caso ainda queira, é só manter contato.

ROMPIMENTOS DE CONTRATOS E VAGAS FALSAS 

“1. Como se não bastasse estarmos enfrentando um momento tão difícil, como este da pandemia, a atual administração municipal ainda rompeu contratos de trabalho, no último janeiro. Assim, mães e pais, que são chefes de família, perderam esses empregos. Sei que início de ano é um período em que não há muitas contratações, mas, sim, dispensas de funcionários extras (...), mas será que não pensaram no quão prejudicial e desumano foi tal atitude? 2. Além disso, a instabilidade no comércio local tem afetado também muitos proprietários. Tanto é que alguns comerciantes, tentando manter o negócio, estão divulgando vagas de emprego, que sequer existem, com o intuito único de divulgar o @ de seu estabelecimento. Quando uma pessoa envia o currículo para concorrer à vaga fantasma, nem para entrevista é chamada. Comerciantes que criam expectativas falsas assim, acabam comprometendo a credibilidade de suas empresas. Ridícula essa postura de tão grande má fé! Por que, ao invés disso, não criam campanhas publicitárias e sorteios?”


Entre outras queixas dos leitores GP leia: Vídeo bate recorde de visualizações


Mais da Gazeta