Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1931
Pará de Minas 18/08/2022


exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

AFINAL, ONDE ESTÁ A VERDADE SOBRE O “FECHAMENTO” DA COOPARÁ?

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

WANDERCY CORREA STEIN, 85
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“A GAZETA sempre mantém a população pará-minense atualizada, com informações precisas!”
CARLOS ALBERTO DE MOURA MORATO, empresário.

Notícias Prefeitura

MEIRELENSES FAZEM EXIGÊNCIAS SOBRE A NOVA ESCOLA


A reportagem GP recebeu na manhã do dia 10 de agosto, do advogado Rodrigo Campos, uma Carta Aberta dos moradores da comunidade de Meireles respondendo a proposta do prefeito Elias Diniz de construir uma nova escola municipal naquele povoado. A escola será erguida no local onde se encontra o atual campo de futebol, com recursos da prefeitura, na ordem de 3 milhões de reais, que já estão garantidos, conforme projeto apresentado. Nele se incluem, além da nova escola, as vias no seu entorno e o acesso independente ao cemitério, sem nenhum comprometimento dos valores do acordo estabelecido com a Vale, para a realização dessas obras. O processo licitatório ocorrerá imediatamente e a construção será iniciada e concluída até o fim de 2022, conforme fala do próprio prefeito Elias Diniz, na reunião realizada, na manhã do dia 27 de julho, em seu gabinete, com a presença de representantes da comunidade de Meireles e do M P M G - Ministério Público do Estado de Minas Gerais, reiterada por meio de posicionamentos públicos do prefeito. Após a realização de reuniões, em Meireles, para debaterem a proposta, visto que ela envolve ceder o campo de futebol, em área doada por moradores, construído e mantido por esforços da própria comunidade, por respeito à história dos antigos moradores, além de avaliar os transtornos decorrentes das obras que serão realizadas, sobretudo, para os vizinhos das áreas afetadas. Enfim, os meirelenses querem, sim, a construção da nova escola municipal, desde que: * o M P M G fique responsável pela elaboração e seja signatário do acordo no qual serão firmados os termos, compromissos, contrapartidas e datas; * um novo local para o campo de futebol seja definido e que seja garantida a aquisição ou a desapropriação da área; e que o novo campo esteja disponível para a comunidade de Meireles, no prazo de doze meses, contados a partir do início da obra da nova escola; * a prefeitura garanta e indique no seu orçamento os recursos necessários para a construção da nova escola municipal, que seja iniciada e concluída ao longo de 2022; * a escola seja equipada e conte com os profissionais necessários ao seu pleno funcionamento; * a quadra da nova escola fique à disposição da comunidade, para uso fora do período das aulas, a exemplo do que hoje ocorre; e * seja feita pela prefeitura intervenções nas vias de acesso a Meireles, de modo que seja possível que alunos de outros povoados, distritos e bairros possam ser transportados com segurança.

Sobre a aplicação dos recursos oriundos do acordo com a Vale, a comunidade entende que: * deve ser formalizada a destinação de mais 500 mil reais à comunidade de Meireles, face a não aquisição das vacinas anti-covid, por parte da prefeitura; * nenhuma das cláusulas do acordo que garante à comunidade a prerrogativa de definir e acompanhar a aplicação dos recursos serão alteradas; * o novo posto de saúde será construído no local onde fica a atual escola municipal, no qual também serão construídas salas e oficinas de artesanato; * os projetos arquitetônicos, estruturais e outros que vierem a ser elaborados por profissionais da Aeapam - Associação de Engenheiros e Arquitetos de Pará de Minas serão pagos com recursos do acordo; * o calçamento das ruas laterais do povoado de Meireles passará a constar na lista de benfeitorias que serão custeadas, a partir dos recursos vindos do acordo com a Vale; * antes de qualquer intervenção no calçamento, seja feito com a Águas de Pará de Minas um acordo, para que seja resolvida a questão do esgoto que atende Meireles, para evitar novas intervenções a perda do dinheiro aplicado; * a prefeitura, como concedente da concessão e o Ministério Público, participem dessas tratativas.

Porém, não se trata de decidir entre a nova escola versus o campo de futebol, nem de fazer juízo de valor sobre o que é mais ou não importante. Eles entendem que todas essas benfeitorias são necessárias e podem coexistir. A comunidade reitera o reconhecimento pelo competente trabalho desenvolvido pelo Ministério Público e registra na GAZETA o seu agradecimento ao promotor de justiça Delano Azevedo Rodrigues. Registra ainda apreço pela proposta feita pelo prefeito Elias Diniz, visto que o investimento em educação gera benefícios permanentes.

O OUTRO LADO - Contatado, veja o que disse o prefeito Elias Diniz.

“ (...) A boa notícia é que a comunidade aceitou a proposta do município de fazer uma escola modelo, ao invés de fazer a reforma de um prédio que ficaria insuficiente para aquela comunidade. Então, o município vai fazer uma escola, que tem todo um amparo, não só para Meireles, mas também outras comunidades, no seu entorno. Tenho certeza de que será algo maravilhoso e um patrimônio (...) para a comunidade, (...) fonte geradora de conhecimento. As outras tratativas, no que se diz respeito a indenização da Vale, serão trabalhadas, em outro momento,” diz o prefeito.


Mais da Gazeta