Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1931
Pará de Minas 18/08/2022


exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

AFINAL, ONDE ESTÁ A VERDADE SOBRE O “FECHAMENTO” DA COOPARÁ?

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

WANDERCY CORREA STEIN, 85
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“A GAZETA sempre mantém a população pará-minense atualizada, com informações precisas!”
CARLOS ALBERTO DE MOURA MORATO, empresário.

Gozacao Pura

GOZAÇÃO PURA: BOMBA 1, BOMBA 2 E BOMBA 3: BUUUUMMMM!!!


De novo, vou fazer 3 comentários apimentados sobre um badalado bar, cujo proprietário é bem polêmico... Como a cidade agora está na Onda Verde, estão sendo realizados vários eventos por todo lado, inclusive ali, a partir de 5ª feira, com shows variados, participações especiais e centenas de fregueses. Tá na lei, mas vamos às explosões: 1ª BOMBA - Dia desses, na porta do bar, um motorista embriagado, que queria parabenizar o dono do pedaço pelo níver, perdeu o controle da direção do seu carrão e bateu, de uma só vez, em oito motos e até na caminhonete do dono do bar. Que presentaço, heim? 2ª BOMBA - Uma vizinha desse mesmo bar ligou para a polícia, para reclamar da barulhada. Você acredita que ela foi assediada pelo policial que atendeu o seu whatsApp? Mas a moça foi mais esperta e postou prints de toda a má intencionada conversa. Deu corda só pra, depois, foder o PM... 3ª BOMBA - Dias depois, numa 5ª feira, a polícia foi chamada, dessa vez por diversos vizinhos, que não conseguiam dormir com o tal barulho e bagunça. A PM foi lá e explicou que estava acontecendo ali uma perturbação do sono e do sossego, mas, ao virar as costas, o show e a baderna continuaram. Chamados novamente, os policiais voltaram bravos, encerrando o evento, mandando todo mundo embora e levando de camburão o desobediente para a delegacia. Aí, os mesmos fregueses que estavam lá deslocaram-se para outro bar, que estava fechado, no outro lado da cidade. Isso, porque o dono deste bar, que também estava se divertindo no bar interditado, convidou aquela galera toda para o famoso After (depois) com portas fechadas e com o mesmo show do outro bar. Como ali nenhum vizinho reclamou a bagunça raiou o dia...

A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR – Aposto como você está louquinho(a) pra saber como fico sabendo de tudo isso, né? Mas eu não conto não... kkk

ATÉ BREVE! E DE LEVE...

Você não sabe quem sou eu, mas euzinha sei tudo sobre você!

(*) Colaborador que só escreve fake news (notícias falsas).


Mais da Gazeta