Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1918
Pará de Minas 20/05/2022


exclusivo

GANHO PESSOAL

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

CANTORA LOCAL VAI DIRETO PARA A FINAL DO CANTA COMIGO

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

QUEM FOI

NELSON ALVES MARZAGÃO?
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Todo esforço merece reconhecimento e o GP Jornal sabe valorizar cada um de nós, como ninguém!”
VITOR DOS SANTOS SILVA, estudante de educação física.

Notícias Prefeitura

TRILHA DOS BANDEIRANTES E A CACHAÇA DOS SERTÕES

Com o objetivo de fomentar o turismo de experiência, valorizar as tradições regionais, gastronomia, e também as artes, esteve em Pará de Minas a turismóloga e gestora do circuito Trilha dos Bandeirantes, Cecília Galvão. Na ocasião foram debatidos projetos de relevância para o desenvolvimento turístico local e entender como funciona o programa de Regionalização do Turismo. A turismóloga foi convidada pelo presidente do Conselho de Turismo de Pará de Minas, Sérgio Claret que junto aos representantes da Emater, Kênia Lasmar e Fábio Morais debateram questões relacionadas ao turismo local. O Comtur atua como instrumento para o desenvolvimento da política de turismo, seja municipal, estadual ou federal, e tem buscado promover ações de fomento à atividade. Cecília Galvão apresentou o projeto de criação da Rota Integrada da Cachaça dos Sertões, Terras do Sol Poente. Segundo Cecília Galvão, a iniciativa visa resgatar e promover uma nova oferta turística, além de favorecer as boas práticas entre os circuitos regionais. A cachaça de alambique há mais de três séculos vem cativando paladares e agregando valores à cultura do meio rural, além de gerar renda para muitos mineiros. A bebida carrega memórias do contexto histórico-social no período colonial, as estradas reais e o caminho novo dos sertanistas percorridos entre São Paulo, Minas Gerais e Goiás. Para o presidente do Comtur, Sérgio Claret, Pará de Minas não pode ficar de fora desta iniciativa pela sua história, localização pela tradição dos alambiques e as atividades fomentam políticas de turismo local. 


Mais da Gazeta