Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1930
Pará de Minas 12/08/2022


exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

MAIS UMA VEZ, SEÇÃO GRITO POPULAR MOSTRA SUA FORÇA

exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

OLINDA MARIA STAIN, 81
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Credibilidade e imparcialidade em jornalismo é com a GAZETA!”
GABRIEL JOSÉ BARBOSA PALOTTI, administrador e Garra Profissional 2021 no agronegócio

Gozacao Pura

VENDE PRODUTO, DURANTE LIVE, MAS, DEPOIS, NÃO ENTREGA

Gente do céu, a cada dia que passa, fico mais impressionada com a falta de irresponsabilidade e competência de alguns atendentes e até proprietários de algumas lojas desta cidade. Deve ser por isso que eles vivem dizendo que não estão vendendo patavina. Euzinha, que sempre fico sabendo de tudo, fui informada, dessa vez, que uma mulher, residente em uma cidade vizinha, estava assistindo uma dessas trocentas lives do Instagram de lojas de preço único, num domingo, quando comprou uma peça de roupa, para apanhar no outro dia, 2ª feira. Porém, quando chegou lá, foi informada, pela mesma mulher da live, que não tinha mais aquela peça, mas que tinha na loja de uma outra cidade vizinha, que ela só chegaria na 6ª feira e que ela teria que esperar. Revoltadíssima, a cliente disse que não poderia voltar na 6ª, porque ela morava fora, que já tinha pagado um táxi para chegar até ali e que eles poderiam, pelo menos, entregar a peça em sua casa. Aí a atendente disse, toda cínica, que sentia muito e que ela nada mais poderia fazer por ela. A cliente, então, pediu pra falar com a gerente, quando a vendedora disse que ela não estava no local. Por sua vez, a cliente pediu pra ligar pra ela. A atendente ligou várias vezes, sem conseguir, gerando suspeita na cliente de que ela estivesse realmente ligando. Mas, coisinha, o pior vem agora: BOOOMBA! Logo após sair da loja, aquela cliente foi na loja em frente, fula da vida. Ao sair dessa outra loja, adivinha só quem ela sair da loja que fez a tal live? A dona da loja, rindo, rasgadamente, sobre o que tinha acabado de acontecer, usando óculos escuros gigantes, montada num big par de sapatos vermelhos, de saltos altos, e mascando chicletes. Ah, se fosse comigo! O pau teria quebrado,,, 

A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR - É ou não é uma bruta falta de respeito vender uma coisa e depois roer a corda?

ATÉ BREVE! E DE LEVE...

Você não sabe quem sou eu, mas euzinha sei tudo sobre você!

(*) Colaborador que só escreve fake news (notícias falsas).



Mais da Gazeta