Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1923
Pará de Minas 24/06/2022


exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

ATÉ AQUI,FATALIDADE ASSIM SÓ ERA VISTA NO FILME PREMONIÇÃO

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

VERA LÚCIA SENA VALADARES
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“O GP Jornal é informação e entretenimento, com qualidade e confiabilidade!”
VINÍCIUS PEREIRA DOURADO, médico cardiologista

Notícias Variadas

AGORA, TODO MUNDO TERÁ DE TOMAR A 2ª DOSE

O Ministério da Saúde anunciou mudanças importantes no P N I - Programa Nacional de Imunização contra a covid-19. Dessa forma, toda a população adulta, que já completou o ciclo vacinal de duas doses, será contemplada com uma dose de reforço, antes destinada apenas aos grupos mais vulneráveis, profissionais de saúde e maiores de sessenta anos. A dose de reforço vai ser aplicada nos indivíduos elegíveis, que tomaram qualquer um dos imunizantes disponíveis no país. O intervalo para a aplicação desta dose também foi reduzido de seis para cinco meses. O reforço tem como benefício aumentar ainda mais a proteção contra o vírus e sua aplicação tem sido defendida por especialistas, diante da alta de infecções entre imunizados com as duas doses. Estudos mostram que, a partir do 5º mês, há redução do nível de proteção vacinal, o que coloca em risco, principalmente, grupos mais vulneráveis. O avanço da variante Delta - que é mais transmissível - também coloca em alerta as autoridades. A partir disso, novos lotes dos imunizantes começaram a ser distribuídos. Em relação ao calendário, estados e municípios têm autonomia para a definição. Porém, segundo o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, não haverá distinção por faixa etária. O que valerá, agora, é o prazo do intervalo, ou seja, qualquer pessoa que tenha tomado a 2ª dose, há cinco meses, poderá se dirigir à uma sala de imunização.


E QUEM TOMOU A JANSSEN? - Os brasileiros que se vacinaram contra a covid-19 com a Janssen, da Johnson & Johnson, até então de dose única, receberão uma 2ª aplicação, para reforçar a proteção contra a doença dois meses após a 1ª dose. A 3ª dose de reforço, que passa a ser obrigatória para adultos, só poderá ocorrer para esse grupo cinco meses, após essa 2ª dose.



Mais da Gazeta