Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1931
Pará de Minas 18/08/2022


exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

AFINAL, ONDE ESTÁ A VERDADE SOBRE O “FECHAMENTO” DA COOPARÁ?

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

WANDERCY CORREA STEIN, 85
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“A GAZETA sempre mantém a população pará-minense atualizada, com informações precisas!”
CARLOS ALBERTO DE MOURA MORATO, empresário.

Notícias Variadas

AGRAVA A SITUAÇÃO DA FALTA DE OBSTETRAS NA CIDADE

Hospitais públicos de todo o país estão enfrentando um grande desafio no que diz respeito à contratação de médicos obstetras. O resultado disso aparece, principalmente, na dificuldade de composição das escalas de plantão nas maternidades. Infelizmente, essa também é a realidade do HNSC - Hospital Nossa Senhora da Conceição. Por mais que a diretoria esteja se empenhando, tem encontrado muita dificuldade na contratação de profissionais dessa especialidade. A explicação está na preferência dos médicos pelos hospitais localizados nos grandes centros (e não dos, do interior) e na redução do número de profissionais que estão se especializando na área. Tem ainda outra situação que agrava o cenário e que, inclusive, também ocorre em Pará de Minas. Obstetras antigos na área se aposentaram ou reduziram a jornada de trabalho.

“Aqui em Pará de Minas, muitos profissionais de vasta experiência já não dão mais plantões, o que aumenta a escassez no mercado,” informa o diretor clínico Cláudio Campolina.

A gestora hospitalar, Claudine Carvalho, complementa: “Temos feito tudo que é possível. Reajustamos os valores pagos nos plantões, divulgamos, ao máximo, as vagas e oferecemos boas condições de trabalho a todos.”

E AGORA? - Outro aspecto importante abordado por Claudine diz respeito às providências tomadas pela instituição, nos momentos em que há ausência de plantonista na maternidade. Nessa situação, uma equipe de enfermeiros com especialização em obstetrícia fica sempre presente, enquanto um médico está de sobreaviso, para eventuais emergências, até a chegada do plantonista.

“Felizmente, para este mês a escala diária está praticamente preenchida, graças à colaboração de alguns médicos em aceitar um maior número de plantões,” acrescenta a gestora.


Mais da Gazeta