Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1917
Pará de Minas 13/05/2022


exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

“FIQUEI LIGADA A UM MONTE DE APARELHOS, MAS NÃO TINHA MAIS O CÂNCER NO MEU CORPO”

exclusivo

O mais tradicional evento cultural da cidade debateu sobre a VIDA PÓS-PANDEMIA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

LEVINO DA COSTA DE JESUS, 115
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Por ser sério, o GP Jornal é muito respeitado na cidade!”
JOSÉ IRINEU SILVA, empresário.

Notícias

GRITO POPULAR

COMPRE A GAZETA NAS BANCAS: * PADARIAS: BARIRI, CAFÉ COM LEITE e FRANÇA; * BANCAS: MARIA JOSÉ (EE Governador Valadares) e FRANCISCO (ao lado do Santander); * STOP SHOP, etc..

Veja também outras queixas da edição anterior abaixo.

A LEI DO SILÊNCIO MUDOU DE HORÁRIO?

“Quero fazer um apelo às autoridades responsáveis por esse trenzinho, que continua circulando, após as 22H. Se a Lei do Silêncio começa às 22H e vai até às 6H, ele tem de parar, uma vez que está perturbando o sossego de muitos pará-minenses. Além do som muito alto, o motorista ainda dispara a buzina bem alta, incomodando ainda mais as famílias, principalmente aquelas onde há crianças, idosos e pessoas acamadas. É ou não é uma bruta falta de falta de respeito?”

NOTA DA REDAÇÃO - Contatada, veja o que disse a Assessoria de Comunicação da Prefeitura.

“A prefeitura, por meio da secretaria de cultura e comunicação institucional, informa que já solicitaram aos motoristas que abaixem o volume do som do trenzinho. A solicitação foi atendida e, desde a última 6ª feira, 3, o trenzinho já está circulando com o volume reduzido, após às 22H,” informa a assessoria.

NÃO CONFUNDA MARÉ FUNDA COM MÃO NA _ _ _ _ _

“Perguntar não ofende, mas aquele jantar de entrega de troféus não foi mais uma tentativa de cópia escancarada de mais um tradicional evento GP, o Garra Profissional?”

NOTA DA REDAÇÃO - A pergunta acima foi levada ao jornalista Bié Barbosa, criador do Garra Profissional e de tantos outros eventos GP, em prol de Pará de Minas. Veja a resposta dele.

“Não, nunca! O GP Jornal nunca vendeu troféus, nem promoveu jantares, para cobrar participações. O Garra já nasceu filantrópico e o ingresso sempre foi 1KG de alimento não perecível, que é enviado, na mesma noite do evento, para alguma entidade filantrópica da cidade. Se a GAZETA tivesse misturado premiação com dinheiro, o Garra jamais teria chegado à sua 34ª edição e todos os premiados sabem muito bem disso,” não poupa o editor GP.


Entre outras queixas dos leitores GP leia: “Por que não tem cinto de segurança no trenzinho da alegria?”


Mais da Gazeta