Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1929
Pará de Minas 04/08/2022


exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

MAIS UMA VEZ, SEÇÃO GRITO POPULAR MOSTRA SUA FORÇA

exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

OLINDA MARIA STAIN, 81
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“O GP Jornal traz informações corretas, com toques de criatividade e alegria, fazendo agradável a leitura!”
DENY OSWALDO DE ALMEIDA LEITE, contador.

Notícias Prefeitura

SEQUELAS PÓS-COVID: DO RESPIRATÓRIO AO NEUROLÓGICO

Em Pará de Minas, a assistência à saúde dos pacientes que apresentam sequelas crônicas pós covid é ofertada no Ambulatório Municipal de Fisioterapia Vânia Maria Silva Faria, o serviço está em funcionamento desde meados de 2021. A reportagem GP conversou com o fisioterapeuta e coordenador do ambulatório, Guilherme Morais. Veja

“Ofertamos a reabilitação pela secretaria de saúde no Ambulatório de Fisioterapia Municipal Vânia Maria Silva Faria, no Dom Bosco. Os atendimentos acontecem de 7H às 18H, nas segundas-feiras, de 7H às 20H nas terças e quartas-feiras e de 7H às 16H nas quintas e sextas-feiras. O acesso aos nossos serviços se dá através de encaminhamento feito pelos postos de saúde, ou seja, o paciente deve procurar o posto de saúde primeiro, para depois ser encaminhado para nós. Assim sendo o fisioterapeuta irá fazer uma avaliação para ver se há ou não necessidade de fisioterapia, com isso o paciente será chamado de acordo com o fluxo. Caso necessite de fisioterapia será encaminhado para o ambulatório, caso contrário será encaminhado para os outros setores da reabilitação”, explica o coordenador.

QUAIS SEQUELAS - “Quando começamos a trabalhar com pessoas com sequelas pós-covid, a maioria dos pacientes que recebíamos apresentavam sequelas respiratórias, mas hoje é mais variado como sequelas neurológicas, ortopédicas crônicas, cardíacas e motoras”.

IMPORTÂNCIA - “Trabalhamos para conseguir recuperar o paciente a vida dele antes da doença, pois alguns realmente ficam com sequelas graves. São pacientes que não conseguem se vestir sozinhos, alimentar e até andar dentro de casa, sequelas muito graves. Tivemos pacientes que ficaram entubados durante meses, com debilidades físicas multifuncionais, alguns chegaram aqui literalmente carregados pelos pais e após algum tempo de tratamento vinham sozinhos. Teve paciente que chegou com o pulmão 80% comprometido, que ficava cansado só de falar, e depois de 3 meses já estava voltado para suas atividades normais. Hoje, apesar da variante ômicron ser considerada mais branda ela afeta vários sistemas corporais, por isso houve essa mudança nas sequelas apresentadas”.

QUANTOS ATENDIMENTOS - “Atualmente estamos atendendo sessenta e seis pacientes por semana. Alguns fazem a reabilitação em grupos e outros fazem individual. Na região, Pará de Minas foi a primeira cidade a ofertar esse trabalho e vemos a importância desse serviço nos números crescentes de pessoas que tem buscado a reabilitação”.


Mais da Gazeta