Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1931
Pará de Minas 18/08/2022


exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

AFINAL, ONDE ESTÁ A VERDADE SOBRE O “FECHAMENTO” DA COOPARÁ?

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

WANDERCY CORREA STEIN, 85
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“A GAZETA sempre mantém a população pará-minense atualizada, com informações precisas!”
CARLOS ALBERTO DE MOURA MORATO, empresário.

Notícias

GENTE PENSANTE

COMPRE A GAZETA NAS BANCAS: * PADARIAS: BARIRI, CAFÉ COM LEITE (São Luiz) e FRANÇA (rua Direita); * BANCAS: MARIA JOSÉ (em frente à EE Governador Valadares) e FRANCISCO (ao lado do Santander); * STOP SHOP, etc..

Veja também a crônica deste mesmo colunista da edição 1924 abaixo:

NÃO PROCURE A FELICIDADE EM NINGUÉM, A NÃO SER EM VOCÊ...

Meia hora antes do casamento, a bela noiva já tinha passado por toda aquela bateria de preparativos do Dia D. Havia reservado, no último andar do melhor hotel da cidade, duas suítes: uma para ela e outra, para o noivo. Em cada uma delas, cada um dos dois convidou pai, mãe, irmãos e só um ou dois amigos, no máximo. Meses atrás, a correria tinha sido ainda maior, com a marcação de datas com igreja, celebrante, salão de festas, buffet, cerimonialista, bar de drinques, viagem de lua de mel, maquiador(a), cabeleireiro(a), vestido, terno, damas e pajens, padrinhos, convites, calígrafa, lista de convidados e, depois, lista dos excluídos para se adequar ao custo final aumentado, pós-covid. Quando pensa que não, ainda tem de criar um presente bem especial para cada padrinho/madrinha, porque, hoje em dia, não basta, convidá-los, tem de presenteá-los. Assim, ao receberem o convite, eles se sentem muito especiais, amenizando a má ideia de mais despesas... Na suíte do noivo, o pai dele questionou, sem dirigir a pergunta para alguém específico:

- No meu tempo, casamento era apenas mais um sacramento, como o batizado e a crisma. Hoje, está tudo tão mudado... Casamento virou uma verdadeira indústria! Ainda bem que, pelo menos as igrejas, deram um basta nisso, não permitindo mais aquelas decorações excessivas, que só serviam para acentuar, ainda mais, a diferença social existente entre cada casal.

O noivo irritou-se, dizendo:

- Pai, guarde essas suas ideias pra outra hora. Ninguém merece! O senhor está querendo estragar o dia mais importante da minha vida?

A mãe do noivo apressou-se em ficar ao lado e do lado do filho, colocando a mão sobre o ombro dele. O pai, por sua vez, não engoliu a seco as palavras ásperas do filho, respondendo:

- Para mim, o dia mais importante das nossas vidas é o dia em que nascemos!

Enquanto isso, na suíte da noiva, o entra e sai de profissionais não parava. Lá, o pai da noiva nada questionou, a não ser quando a filha disse:

- Tenho certeza que o fulano vai me fazer muito feliz. A partir de hoje, eu

serei a pessoa mais feliz deste mundo!

O pai, então, comentou:

- Filha, não procure a felicidade em ninguém, a não ser em você mesma... Felicidade não está fora da gente. Ela reside ou não, dentro de cada um de nós, individualmente.

E você, o que pensa sobre a tal felicidade?

UMA BOA LEITURA!



O editor GP escreve mais uma crônica: A BRISA E O NEGÓCIO, NUMA SOCIEDADE CAPITALISTA


Mais da Gazeta