Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1917
Pará de Minas 13/05/2022


exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

“FIQUEI LIGADA A UM MONTE DE APARELHOS, MAS NÃO TINHA MAIS O CÂNCER NO MEU CORPO”

exclusivo

O mais tradicional evento cultural da cidade debateu sobre a VIDA PÓS-PANDEMIA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

LEVINO DA COSTA DE JESUS, 115
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Por ser sério, o GP Jornal é muito respeitado na cidade!”
JOSÉ IRINEU SILVA, empresário.

Notícias

VIRADA SEM FOGOS

Nos últimos três anos, a prefeitura de Pará de Minas realizou, no alto da serra do Cristo Redentor, a queima de fogos do réveillon. Neste ano, porém, ela não foi realizada. Para saber o que de fato aconteceu, a reportagem GP conversou com o ex-secretário de cultura, Lu Pereira. Veja.

“Entramos nessa contenção de gastos que o ex-prefeito Antonio Júlio de Faria pediu. Em 2016, nem o carnaval nós pudemos fazer, justamente para ajustar as contas, por ter sido um ano de crise em todo o país e não teve como fazer a queima de fogos. A gente fica muito triste, pois é uma maneira de comemorar o ano que chegou. Até as capitais de Estado que fizeram a queima de fogos neste ano, cortaram pela metade o investimento. Mas acho que a população vai entender, porque quando há crise temos que recuar. É igual na casa da gente: quando não tem dinheiro não se faz festa. É uma pena, mas é a realidade que estamos vivendo”, justifica Lu, como é mais conhecido o ex-secretário.

TENTOU PATROCINADORES? - “Houve anos que nós conseguimos apoio privado para a realização, mas não é barato, já que a queima de fogos fica de R$ 10.000,00 a R$ 15.000,00”.

Mais da Gazeta