Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1917
Pará de Minas 13/05/2022


exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

“FIQUEI LIGADA A UM MONTE DE APARELHOS, MAS NÃO TINHA MAIS O CÂNCER NO MEU CORPO”

exclusivo

O mais tradicional evento cultural da cidade debateu sobre a VIDA PÓS-PANDEMIA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

LEVINO DA COSTA DE JESUS, 115
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Por ser sério, o GP Jornal é muito respeitado na cidade!”
JOSÉ IRINEU SILVA, empresário.

Notícias

“O ESTADO NÃO DÁ O INCENTIVO IDEAL”

A Escola Municipal de Música Geraldinho do Cavaquinho comemorou a chegada de 5 novos instrumentos que serão utilizados pelos componentes da Banda Lira Santa Cecília e alunos dessa escola. Para saber mais sobre esse assunto, a reportagem GP conversou com o maestro da banda, Fernando Stringhetta. Veja.

“É muito importante ter instrumentos novos, bem como a suas manutenção, em uma banda de música como a nossa. Como estamos em período de inscrições para o processo seletivo de novos alunos, esses instrumentos possibilitam mais alunos na escola e mais músicos na banda de música. Isso, porque todos os músicos que entram na banda hoje têm de se inscrever e entrar na escola de música 1º, através de uma parceria da prefeitura com a banda. Ou seja, a escola de música é um resultado dessa parceria. Então todos os alunos que querem estudar música para tocar na banda, têm que passar pelo processo seletivo da escola e cursar o que a gente oferece de música, se inserindo na banda, a partir do momento em que ela desenvolve o instrumento”, explica Fernando.

E OS INSTRUMENTOS? – Há instrumentos que não faziam parte da instrumentação da banda e isso vai enriquecer o seu timbre e possibilidade de arranjos. Ganhamos um saxofone barítono, um clarinete, um trompete, uma flauta transversal, um trombone de vara e ainda vamos receber uma tuba 2/4 que é o bombardão. Como os instrumentos de qualidade são quase todos importados, o preço é alto, tornando-se uma aquisição difícil para a banda. Porém, graças a esse apoio da federação e do Estado conseguimos isso. É claro que o Estado não dá o incentivo ideal, mas ele promove essas ações que acontecem de dois em dois, dando um suporte para a banda.”

SEM GRANA - A reportagem GP conversou também com a presidente da banda, a médica veterinária, Clara Mendes. Acompanhe.

“Por ser uma instituição sem fins lucrativos, a banda não tem uma renda. Então, precisamos sempre correr atrás do Estado para conseguirmos os instrumentos e arrecadar dinheiro. Esse projeto do Estado é o Bandas de Minas, concorremos a ele e ficamos muito bem colocados, ganhando esses instrumentos que são um incentivo para a manutenção da banda como patrimônio histórico, já que ela tem 80 anos de vida”.

RESPONSABILIDADE SOCIAL - “A reportagem GP conversou ainda com o secretário de cultura e comunicação institucional, Paulo Duarte. Veja o que ele disse.

“Essa parceria da prefeitura, através da secretaria de cultura do município, é, na verdade, uma responsabilidade social e inclui a escola de música para gerar uma atividade extra com a banda, ajudando a produzir novos talentos, fomentando a música, despertando o interesse da criança e do adolescente para a música. Essa parceria permite que a escola de música cresça, cada dia mais, quando acontecem esses projetos”, explica Paulo.

Mais da Gazeta