Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1918
Pará de Minas 20/05/2022


exclusivo

GANHO PESSOAL

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

CANTORA LOCAL VAI DIRETO PARA A FINAL DO CANTA COMIGO

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

QUEM FOI

NELSON ALVES MARZAGÃO?
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Todo esforço merece reconhecimento e o GP Jornal sabe valorizar cada um de nós, como ninguém!”
VITOR DOS SANTOS SILVA, estudante de educação física.

Notícias

AS PIORES OCORRÊNCIAS DO TEMPORAL

Após a forte chuva que caiu na noite de 5 para 6 de fevereiro, houve muitos estragos e reclamações na defesa civil de desabamentos de muros, queda de árvores, alagamentos, etc.. Para saber mais sobre o assunto, a reportagem GP conversou com o engenheiro e coordenador da defesa civil de Pará de Minas, André Lara Amaral. Acompanhe.

“O pior de tudo, e ainda com risco de desmoronamento, aconteceu na rua Celso Grassi, no bairro Raquel, quando um barranco desmoronou, descalçando toda estrutura da fundação da casa. Foi feito um laudo técnico. Havia ali uma família ameaçada, mas ela já foi retirada do local com auxílio do Corpo de Bombeiros. A prefeitura, por sua vez, disponibilizou uma lona para cobrir o solo para que ele não se encharcasse mais, não ocorrendo a saturação do solo, nem desmoronamentos, levando a casa abaixo. * Em um loteamento, no bairro Serra Verde, que tinha sido abertas as ruas foi retirada a vegetação. Como não foi feita a devida infraestrutura, o solo entrou acarreado para baixo, onde se encontra a bacia, derrubando muros e alagando uma casa. Mas a família já foi socorrida, foi feita a limpeza e retirada de móveis que foram encaminhados para outra residência. Enfim, todos que acionaram a prefeitura e o Condec - Coordenadoria Municipal de Defesa Civil, foram auxiliados, tanto comlaudo técnico como auxílio da prefeitura. A qualquer sinal de novos alagamentos, as pessoas devem deixar suas residências e acionarem o Condec (9 9663-7021, 24H, ou 3231-7766, horário comercial) ou Corpo de Bombeiros (193)”.

Mais da Gazeta