Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1918
Pará de Minas 20/05/2022


exclusivo

GANHO PESSOAL

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

CANTORA LOCAL VAI DIRETO PARA A FINAL DO CANTA COMIGO

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

QUEM FOI

NELSON ALVES MARZAGÃO?
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Todo esforço merece reconhecimento e o GP Jornal sabe valorizar cada um de nós, como ninguém!”
VITOR DOS SANTOS SILVA, estudante de educação física.

Notícias

NÃO DÊ ESMOLAS, SUGERE CAMPANHA CONJUNTA

Nos últimos anos, o número de moradores de rua em Pará de Minas tem crescido significativamente, quando pessoas se instalam próximas de pontos comerciais e sinais de trânsito, consumindo drogas e esmolando dinheiro. Esse cenário tem gerado reclamações, por causa do comportamento intimidador dos pedintes. Atenta à situação, a Ascipam decidiu buscar parcerias para solucionar esse grave problema social. Daí, surgiu o desenvolvimento de uma campanha, em conjunto com a prefeitura, polícias militar e civil, OAB – Ordem dos Advogados do Brasil, igrejas evangélica e católica. A idéia principal é defender a tese de que doar dinheiro ou alimento para moradores de rua só contribui para eles permaneçam nessa condição e não busquem melhores rumos. Veja, em resumo, o que disse o presidente da Ascipam, Misael de Almeida.

“Sabemos que estamos falando de nossos irmãos e que eles têm o direito de ir e vir, mas eles também têm de respeitar os nossos direitos. Se Deus quiser e com a ajuda da sociedade, vamos contribuir para que eles consigam um lugar para viver com dignidade”, espera Misael.

Leia agora outro ponto importante ressaltado pelo tenente-coronel da PM, Costa Júnior.

“Essas pessoas em situação de rua devem receber o tratamento que merecem por parte do Estado e nós temos órgãos competentes para isso. Havendo a ruptura da ordem, vamos atuar. A questão do morador de rua é uma questão social grave e deve receber especial atenção do Estado. Entretanto, especialistas afirmam que é necessária força de vontade por parte da pessoa que vive na rua e participação ativa da comunidade. Se os moradores de rua não recebem dinheiro para se sustentarem, torna-se mais fácil eles receberem ajuda dos órgãos competentes (como o Centro POP)”, sugere Costa Júnior.

* O Centro Pop funciona na rua Coronel Domingos, 471, de 2ª a 6ª feira, das 7 às 17 horas. 3231-7500. 

Mais da Gazeta