Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1919
Pará de Minas 27/05/2022


exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

INFLUENCIADOR DIGITAL VAI MUITO ALÉM DO SEU BORDÃO SEXTOOOU BB

exclusivo

GANHO PESSOAL

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

MARIA DE JESUS CORNÉLIO, 85

exclusivo

enquete gp

TATUAGENS: A FAVOR OU CONTRA?
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“A GAZETA é tradicional em informar sempre com qualidade.”
LÍVIA VIEIRA GUIMARÃES ALMEIDA, bancária.

Notícias

CIDADE GANHA GELADEIRA POÉTICA

No dia 31 de outubro, foi inaugurada na rua Alameda das Mangabeiras, 684, Jardim das Piteiras, uma Geladeira Poética. Isso mesmo! Ela que foi colocada na porta da casa do conhecido Muro dos Poetas – onde há citações de várias poesias – para que os transeuntes leiam alguma e sigam adiante, mais felizes. Para saber mais sobre essa curiosa e sensível iniciativa, a reportagem GP conversou com o seu responsável, Fernando Souza Peixoto. Não deixe de ler.

“Temos livros de poesia e de literatura guardados dentro em casa, até que, um dia, a gente pensou em trazê-los para fora para serem usados para mais gente. Aí, arrumamos uma geladeira que pode tomar sol e chuva e deixamos esses livros dentro dela, na porta da casa. A partir daí, muitas pessoas doaram mais livros ainda,” festeja Fernando.

COMO FUNCIONA? - “As pessoas podem levar os livros para ler em casa e depois de lidos devem devolvê-los para outras pessoas também lerem. Não existe nada melhor que abrir um bom livro e ler, viajando no tempo. Nossa geladeira só tem livros de poesia e é só chegar e pegar. Pedimos a população que todos ajudem a cuidar da Geladeira Poética, pois é algo para todos e queremos muito que o projeto dê certo. Para tanto, temos de trabalhar em conjunto para o projeto seguir em frente. Quem quiser doar livros de poesia será bem-vindo e os próprios poetas da cidade que quiserem deixar seus livros aqui será um prazer recebê-los!”

Mais da Gazeta