Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1917
Pará de Minas 13/05/2022


exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

“FIQUEI LIGADA A UM MONTE DE APARELHOS, MAS NÃO TINHA MAIS O CÂNCER NO MEU CORPO”

exclusivo

O mais tradicional evento cultural da cidade debateu sobre a VIDA PÓS-PANDEMIA

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

LEVINO DA COSTA DE JESUS, 115
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“Por ser sério, o GP Jornal é muito respeitado na cidade!”
JOSÉ IRINEU SILVA, empresário.

Notícias

OSB APURA IRREGULARIDADE EM VOTAÇÃO DA CÂMARA

OSB APURA IRREGULARIDADE EM VOTAÇÃO DA CÂMARA

No que diz respeito ao percentual de reajuste do IPTU de 2018, o Observatório Social de Pará de Minas não vai entrar nos embates travados entre a prefeitura e a câmara municipal. No entanto, o OSB está solicitando providências urgentes do Legislativo para combater a ilegalidade que houve no processo de votação do projeto de lei 164/17 - instituindo a Planta de Valores para o triênio 2018/2020 - que desencadeou toda a polêmica que vem se arrastando na cidade, nesses últimos meses. Avaliando detalhadamente a ata da reunião em que o projeto foi votado e o Regimento Interno da Casa, o OSB apurou uma falha gritante na votação do mesmo e já notificou a câmara sobre o assunto, aguardando as providências cabíveis. O Regimento Interno da Câmara de Pará de Minas determina claramente, em seu artigo 182, que entre a primeira e a segunda votação de todo projeto deve ser respeitado o prazo de, no mínimo, vinte e quatro horas. A exceção só pode ocorrer, quando houver unanimidade de votos, o que não aconteceu nesse caso, tendo em vista a falta de concordância do atual presidente da Casa, vereador Marcus Vinícius de Faria, mais conhecido como Marcão. Esse critério, segundo o regimento, deve prevalecer tanto para reuniões ordinárias como extraordinárias. Portanto, o procedimento das votações deve obedecer fielmente o que diz o artigo 182. O OSB também aponta irregularidade em outro momento da votação do referido projeto e ela aconteceu na inversão da apreciação das emendas apresentadas pelos vereadores. Os artigos 187 e 188 do Regimento Interno determinam que as emendas devem ser discutidas somente na segunda votação. Porém, como pode ser verificado na ata da reunião, isso aconteceu antes, prática que fere o próprio regimento. O OSB observou essas falhas logo na época da votação, mas como a câmara derrubou o projeto original da prefeitura, com uma proposta apresentada pelo vereador Marcos Aurélio dos Santos (de cálculo do IPTU pelo IGP-M), não foi possível cobrar dos vereadores o reparo na votação indevida. Acontece que a situação mudou agora, já que a prefeitura ingressou ação judicial para reabilitação de seu projeto, obtendo liminar favorável. Diante do novo quadro, o OSB já deu ciência à câmara da violação ao Regimento Interno e solicita agora que ela proponha uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) para garantir nova votação do projeto, com obediência a todas as formalidades e normas estabelecidas.

Mais da Gazeta