Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação:
Francisco Gabriel Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade,
desde 84
ANO 38 - Nº 1923
Pará de Minas 24/06/2022


exclusivo

UNIVERSO FAPAM

exclusivo

GERANDO PERGUNTAS

exclusivo

GIRANDO POR AÍ

exclusivo

GOL DE PLACA

exclusivo

GOSTOSURAS PRÁTICAS

exclusivo

SOCIEDADE GP

exclusivo

GENTE PEQUENA

exclusivo

GALERA PARTICIPANTE

exclusivo

GOTA POÉTICA

exclusivo

GRANDE PATRIMÔNIO

exclusivo

GALERA PLANTONISTA

exclusivo

GRITO POPULAR

exclusivo

GENTE PENSANTE

exclusivo

ATÉ AQUI,FATALIDADE ASSIM SÓ ERA VISTA NO FILME PREMONIÇÃO

exclusivo

HISTÓRIA DE VIDA

VERA LÚCIA SENA VALADARES
Adoro o GP Jornal

TÁ NA GAZETA? TÁ NA HISTÓRIA!

“O GP Jornal é informação e entretenimento, com qualidade e confiabilidade!”
VINÍCIUS PEREIRA DOURADO, médico cardiologista

Notícias

LOTAÇÕES CONTINUAM SEM COBRADORES

Foi votada na câmara, por unanimidade, uma lei para que os motoristas não trabalhassem sem o cobrador e até votaram uma punição de seiscentos reais por ônibus que estivesse rodando sem cobrador. Como a licitação não saiu ainda, os vereadores deram um prazo para que se organizassem. Alguns lotações estão trabalhando apenas com o motorista e o presidente do sindicato dos motoristas, não satisfeito, falou sobre o assunto com a reportagem GP. Confira.
“Um procurador da câmara veio falar que o sindicato tem que apertar em cima disso, mas o sindicato tem que defender é o motorista que está trabalhando sem o seu auxiliar de viagem (o cobrador). Se acontecer qualquer acidente com ele, o sindicato não vai permitir que ele seja punido por isso, pois todos sabemos que é uma situação muito penosa para o motorista, no trânsito, hoje em dia. Ficar mexendo com o dinheiro dos outros e ainda preocupar-se com o trânsito pode causar acidente e acontece mesmo. Se deu prazo para a empresa até fevereiro, que dê, mas não é o sindicato que determina isso. Então, que eles assumam as responsabilidades, pois o sindicato não tem que fiscalizar lei que foi votada não,” esbraveja Francisco.

PRIORIDADE DA PREFEITURA - “A prefeitura tem que começar a se preocupar com o transporte da cidade, pois me parece que não estão tendo essa preocupação. Em março, terá a negociação de salário e eu até já sei qual a resposta: Não sabemos se essa empresa vai ficar ou não! E assim, vão estendendo isso, pelo resto do ano. O prefeito preocupou-se com o hospital, fez um bom trabalho, mas, agora, que ele também se preocupe com as outras coisas também, pois o transporte urbano tinha que ser prioridade da prefeitura. Vão aumentando a tarifa, mas não se preocupam com a demanda de passageiros. Não acho que é justificativa ficar falando que apenas as linhas com pouca demanda é que tem só o motorista. Se são deficitárias e andam poucos passageiros, que tirem, então, essa linha e adeque isso.”

LICITAÇÃO - Contatada, veja o que disse a Assessoria de Comunicação da Prefeitura.
“A prefeitura abriu licitação para contratar uma empresa que vai realizar um estudo do transporte público da cidade, com projeção para os próximos trinta anos, visando a qualidade do serviço. Dependendo do resultado deste levantamento será formatado o edital para concessão do transporte público. A preocupação da atual administração é que o serviço atenda o interesse da coletividade com qualidade e também siga as exigências da legislação vigente. Só assim, Pará de Minas terá um transporte público eficiente, ágil e confortável, que acompanhe a evolução das tecnologias e das demandas da comunidade, respeitando seus direitos,” lembra a assessoria.

Mais da Gazeta