Selo GP - Rodrigo Roreli Laço
Fundação: Francisco Gabriel
Bié Barbosa
Alcance, credibilidade e
imparcialidade, desde 84
ANO 40
Nº 2020
16/05/2024


Eventos GP
Eventos GP

287ª MOSTRA GP: SEIS CERAMISTAS EM EXPOSIÇÃO NO GP E EM OURO PRETO - 03/05/2024

A preocupação em valorizar e incentivar a produção artístico-cultural de Pará de Minas sempre foi tônica do jornal gazeta pará-minense que, em junho de 1989, inaugurou a mostra GP, na recepção da Gazeta. Trata-se de um evento bimensal, com exposição dos trabalhos desses artistas (pintura, cerâmica, fotos, poesias, etc).

A 287ª Mostra GP está apresentando, na recepção deste GP Jornal, nos meses de maio e junho, belas peças em cerâmica dos seis talentosos ceramistas locais- Helena Honório, Édson Gomes, Ângela Souza, Herbert Oliveira, João Batista Leite e Wagner Vasconcelos. Para falar sobre o trabalho deles, a reportagem GP conversou com João Batista da Costa Leite, 53, artista plástico, artesão e professor de artes, residente em Palmital. Confira. 

“A cerâmica da nossa escola de artes começou há muito tempo, com o Raimundo Nogueira de Faria, o Sica, que, inclusive, foi meu professor, quando eu tinha apenas 9 anos. Depois, na época da diretora Édna Morato, foi criado o Produção em Cerâmica, com um trabalho mais voltado para vasos decorativos e utilitários de vários tamanhos, tentando acompanhar algumas tendências, mas sem deixar morrer a raiz de criar alguma peça diferente. A cerâmica é um processo que acontece com barro ou argila que vai ao forno aquecido a uma determinada temperatura e essa queima nós chamamos de 1ª queima ou Queima Biscoito, transformando o barro em cerâmica. Coincidentemente, juntamente com a Mostra GP, nós seis estamos expondo o nosso trabalho, na Galeria Nello Nuno, em Ouro Preto/MG, até o dia 16 de junho. O trabalho exposto será de professores e de todo o nosso grupo de produção. As nossas expectativas para essa exposição são as melhores possíveis, porque a escola não pode ficar estagnada só aqui. As peças estarão disponíveis para a compra e o valor depende do tamanho da peça: pequena, média e grande. O valor das peças podem variar de R$ 50,00 a R$ 700,00. Para esta exposição, conseguimos apoio da prefeitura, que irá disponibilizar o ônibus para as pessoas que irão participar da exposição, para que possamos ir sem ter gasto com passagens,” explica João.

FALE DOS ARTISTAS

“* A pessoa que está aqui há mais tempo é a nossa artista ceramista Helena Honório. Ela foi aluna e professora aqui na escola, em gestões passadas. Depois, ela se ingressou no grupo de produção. Na verdade, ela é a única artista que ficou da 1ª turma, já que as outras pessoas saíram e não retornaram mais. * A maior parte dos vasos decorativos da exposição serão obras da artista Ângela Souza, que está aqui na escola há 2 anos. * Temos também o Édson Gomes, professor de geografia, mas que sempre gostou muito de arte. * O Herbert Oliveira está começando agora. É o mais novo artista da escola. * Os professores de cerâmica que vão participar da exposição são o Wagner Vasconcelos, que é um ex- aluno meu, e eu. * O artista convidado que também irá participar dessa exposição conosco é o Eduardo Libério, que hoje trabalha no museu, sendo também professor de desenho e de pintura, aqui na escola.”

E A ESCOLA? - “Aqui, na escola de artes, temos turmas de manhã e de tarde, para todas as idades, mas também tem à noite, às segundas e quartas-feiras, para quem não tem disponibilidade durante o dia. Porém, não são todos os cursos. O número de alunos por turma varia. Temos turmas de quatro ou oito alunos, como também de quase vinte. Ensinamos cada aluno a desenvolver a sua arte, para que ela não morra. É um trabalho de aprendizado. Temos muita procura na escola para aprender esse tipo de arte. A matrícula para o curso de cerâmica não fecha, porque ela não é uma sequência, é um trabalho individual. No início do ano, são abertas as inscrições para todos os cursos disponíveis na escola. O curso de cerâmica tem duração de um ano, mas é um curso livre. O aprendizado do aluno vai depender de quando ele começou no curso, de sua disponibilidade de tempo, observação e desenvolvimento. Trabalhamos o ano todo aqui e os alunos vêm uma vez por semana, para as aulas de uma hora e meia de duração. O tempo para que o trabalho fique pronto depende do que ele é realizado. Pode demorar dias ou não. O tempo depende de cada trabalho, de cada peça e não são todas feitas e queimadas, ao mesmo tempo. Para fazer a matrícula, o aluno só precisa do comprovante de residência, da identidade e de preencher um formulário. Infelizmente, existe uma procura muito grande de alunos, aqui na escola de artes, mas a maioria vem pra cá apenas para fins terapêuticos.”

ALGO MAIS? - “Além das artes, eu também sou professor na escola regular. Para tanto, estudei e fiz uma faculdade de psicologia comportamental, para conseguir ensinar o que hoje se procura na arte. Para conhecer mais sobre a escola acesse nosso instagram @escoladeartessica. 


Os ceramistas Helena Honório, Édson Gomes, Ângela Souza, Herbert Oliveira, o entrevistado João Batista Leite e Wagner Vasconcelos: “Infelizmente, existe uma procura muito grande de alunos, aqui na escola de artes, mas a maioria vem pra cá apenas para fins terapêuticos...”

Mais da Gazeta

Colunistas